Economia

Levy e Barbosa conduzirão economia de forma segura, diz Itaú

Roberto Setubal disse que os novos ministros vão conduzir a política econômica de forma segura e visando a retomada do crescimento do PIB

Joaquim Levy e Nelson Barbosa durante entrevista coletiva para o anúncio da nova equipe econômica (Ueslei Marcelino/Reuters)

Joaquim Levy e Nelson Barbosa durante entrevista coletiva para o anúncio da nova equipe econômica (Ueslei Marcelino/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de novembro de 2014 às 17h35.

São Paulo - O presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, afirmou nesta quinta-feira, 27, em nota ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que Joaquim Levy, futuro ministro da Fazenda, e Nelson Barbosa, que comandará o Ministério do Planejamento, vão conduzir a política econômica de forma segura e visando a retomada do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Ele afirmou ainda que ambos são profissionais "altamente qualificados".

"Parabenizo a presidenta Dilma Roussef pelas escolhas, desejo sucesso aos novos ministros e reafirmo o compromisso do Itaú Unibanco com o desenvolvimento do Brasil", destacou Setubal, em nota.

Santander

O presidente do Santander Brasil, Jesús Zabalza, também divulgou em nota sua avaliação positiva sobre a formalização da nova equipe econômica.

Zabalza afirmou, via assessoria de imprensa: "As escolhas de Joaquim Levy, Nelson Barbosa e Alexandre Tombini, nomes de competência reconhecida, para liderar a equipe econômica reforçam nossa crença na capacidade da presidente Dilma Rousseff de conduzir o Brasil de volta a um caminho de crescimento sustentável, realizando os ajustes necessários com firmeza e equilíbrio."

Acompanhe tudo sobre:BancosBanqueirosBilionários brasileirosEconomistasEmpresáriosEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasItaúItaúsaJoaquim LevyMinistério da FazendaMinistério do PlanejamentoNelson BarbosaPersonalidadesRoberto Setubal

Mais de Economia

Tarcísio sanciona salário mínimo paulista de R$ 1.640; veja quem tem direito

Cade dá aval e Petrobras cancela privatização de TBG e 5 refinarias

EUA podem levar mais tempo do que outros países para voltar à meta de 2%, diz membro do Fed

'Indústria brasileira tem que levantar a cabeça e se defender', afirma Mercadante

Mais na Exame