Indústria paulista produziu 7,8% menos em dezembro

A queda foi mais intensa do que o registrado na média do País (-2,7%) no período

Rio - A produção industrial em São Paulo recuou 7,8% em dezembro de 2014 ante igual mês de 2013, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda foi mais intensa do que o registrado na média do País (-2,7%) no período.

Além da região paulista, que detém o maior parque fabril brasileiro, outros nove dos 15 locais pesquisados tiveram perdas na produção nesta comparação, mesmo com um dia útil a mais do que no ano anterior.

A redução da produção em São Paulo foi pressionada pelos setores de produtos alimentícios (açúcar cristal e VHP), veículos automotores, reboques e carrocerias (automóveis, caminhões e autopeças), máquinas e equipamentos e coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis.

Já a queda mais intensa nesta comparação foi observada em Pernambuco (-8,2%). Nesta região, o resultado foi pressionado pela produção dos setores de outros equipamentos de transporte (embarcações para transporte, inclusive petroleiros), produtos alimentícios (açúcar cristal), metalurgia, produtos de minerais não-metálicos e outros produtos químicos.

Goiás (-5,2%), Amazonas (-5,1%) e Minas Gerais (-4,5%) também apontaram quedas mais acentuadas que a média nacional, enquanto Bahia (-2,6%), Santa Catarina (-2,3%), região Nordeste (-1,8%), Rio de Janeiro (-1,2%) e Rio Grande do Sul (-0,1%) completaram o conjunto de locais com taxas negativas em dezembro de 2014 ante igual mês de 2013.

O Espírito Santo, por sua vez, assinalou o avanço mais intenso (12,8%), impulsionado pelo comportamento positivo vindo do setor extrativo (minérios de ferro pelotizados e óleos brutos de petróleo).

Os demais aumentos na produção no período foram observados em Mato Grosso (6,1%), Paraná (3,7%), Pará (1,4%) e Ceará (1,0%).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.