Economia

Empresas estrangeiras depositam “voto de confiança” em economia chinesa

Grupo Volkswagen do país anunciou investimento de € 2,5 bilhões para expandir seu centro de produção e inovação em Hefei

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 14 de maio de 2024 às 17h20.

Segundo informações da Câmara de Comércio Internacional da China, 23 vice-presidentes globais ou presidentes regionais da China de empresas estrangeiras conhecidas, como CP Group, Mitsui, Marubeni, Dell, Tesla, IBM, Boeing, Panasonic, Abbott, entre outras, participaram da Cúpula Global de Promoção do Comércio e Investimento, realizada em Pequim, na segunda-feira, 13 de maio.

Recentemente, empresas estrangeiras têm aumentado seus investimentos na China, o que é uma forte evidência do “voto de confiança” na economia chinesa. O Grupo Volkswagen da China anunciou um investimento de € 2,5 bilhões para expandir ainda mais o centro de produção e inovação em Hefei; o Grupo BMW anunciou que continuará a aprofundar sua presença na China, com um aumento de capital de RMB 20 bilhões para a grande atualização e inovação da fábrica da BMW Brilliance em Da Dong.

Dados do Ministério do Comércio mostram que no primeiro trimestre deste ano, foram estabelecidas 12.086 novas empresas de investimento estrangeiro em todo o país, um aumento de 20,7% em relação ao ano anterior; o valor real do investimento estrangeiro foi de RMB 301,67 bilhões, um aumento de 41,7% em relação ao quarto trimestre de 2023. Em termos de setores, o investimento estrangeiro real na indústria manufatureira atingiu RMB 81,06 bilhões, enquanto o investimento estrangeiro real na indústria de manufatura de alta tecnologia foi de RMB 37,76 bilhões, representando um aumento de 169,7% em relação ao ano anterior.

A melhoria do ambiente de negócios depende do apoio de políticas. Nos últimos anos, foram emitidas uma série de políticas para atrair e utilizar mais investimentos estrangeiros. Ao mesmo tempo, medidas relacionadas à facilitação do trabalho de estrangeiros também foram implementadas.

Várias províncias têm adotado medidas específicas de acordo com suas próprias circunstâncias. Jiangsu incentivou a participação de empresas estrangeiras na construção de clusters industriais-chave, atraiu investimentos de alta qualidade para fortalecer as cadeias de suprimentos industriais, melhorou a facilidade de permanência de funcionários estrangeiros em empresas de investimento estrangeiro, entre outras medidas. Xangai propôs aprimorar o mecanismo de equipe especial para grandes e importantes projetos de investimento estrangeiro, fortalecendo o serviço de comissários de projeto, entre outras. Pequim propôs otimizar a experiência de serviços de seguro médico e comercial para estrangeiros. Hainan propôs a criação de dois “centros” principais, ou seja, um centro de sede para empresas chinesas que buscam o mercado internacional e um centro de sede para empresas estrangeiras que entram no mercado chinês.

No primeiro trimestre deste ano, mais de 600 empresas estrangeiras foram pesquisadas pela Câmara de Comércio Internacional da China sobre o ambiente de negócios. De forma geral, as empresas estrangeiras entrevistadas estão satisfeitas com o ambiente de negócios na China, com uma melhoria em relação ao último trimestre do ano passado em todos os indicadores.

Acompanhe tudo sobre:ChinaVolkswagenCarrosIndústria

Mais de Economia

Governo chinês critica novas tarifas dos EUA e alerta sobre impactos bilaterais

Análise: após ata do Copom, apostas migram para fim do ciclo de cortes entre 10% e 10,5% ao ano

Haddad diz que racha no Copom tinha mais rumor do que verdade: ‘Está tudo tranquilo lá’

Mais na Exame