Economia
Acompanhe:

BC divulga base de dados de atuações no câmbio desde 1999

O diretor de Política Monetária do BC, Bruno Serra, destaca que a divulgação do histórico organizado, com mais de 20 anos de intervenções cambiais, é "singular mesmo entre bancos centrais"

Banco Central: até agora, o BC não atuou por meio desses instrumentos (Arquivo/Agência Brasil)

Banco Central: até agora, o BC não atuou por meio desses instrumentos (Arquivo/Agência Brasil)

E
Estadão Conteúdo

24 de janeiro de 2023, 20h25

O Banco Central vai disponibilizar a partir deste mês uma base de dados consolidada com o histórico das operações cambiais realizadas pela autarquia desde janeiro de 1999, quando o câmbio passou a ser flutuante. Segundo o BC, no portal de Dados Abertos do Banco Central, será possível acessar os detalhes de cada operação, como a descrição do leilão desde a hora em que é iniciado até sua finalização.

Neste mês, serão disponibilizados os dados das operações realizadas até o fim de 2022, mas a base de dados terá atualizações sempre no último dia útil de todo mês, com as informações do mês imediatamente anterior.

O diretor de Política Monetária do BC, Bruno Serra, destaca que a divulgação do histórico organizado, com mais de 20 anos de intervenções cambiais, é "singular mesmo entre bancos centrais".

"Utilizando esses novos dados, a análise acadêmica cuidadosa tem potencial para avaliar as ações passadas sob uma perspectiva mais quantitativa, incorporando pontos de vista inovadores e colaborando para uma atuação cambial ainda mais eficiente daqui pra frente", pontua Serra, em nota divulgada pelo BC.

As séries históricas das atuações do BC no mercado de câmbio já podiam ser consultadas no Sistema Gerenciador de Séries Temporais (SGS), mas somente no montante diário agregado.

Além de consolidar os dados em um mesmo local, o órgão também vai ampliar o leque de informações disponíveis para consulta. Serão disponibilizadas informações adicionais sobre cada leilão como a data e a hora do anúncio de uma atuação no mercado de câmbio, a data do leilão, o instrumento utilizado, a data de liquidação, a data de vencimento, o volume de dólares ofertado e aceito e a taxa de corte, ou seja, a cotação que foi aceita pelo BC.

Ao longo dos anos, o BC foi mudando as formas de atuação no câmbio e aumentando o tipo de dados divulgados sobre os leilões, que já trazem mais detalhes do que pares. Com o histórico consolidado, a autarquia avança ainda mais na transparência das operações e possibilita análises mais aprofundadas na academia e no mercado sobre os efeitos das medidas adotadas no mercado de câmbio.

Atualmente, segundo as regras em vigor, as operações de câmbio do BC têm sido feitas com os swap cambial, compra ou venda à vista, venda com recompra, compra a termo, empréstimo e operação compromissada.

Segundo a autarquia, também estão disponíveis para a atuação operações de compra de moeda estrangeira com compromisso de revenda, venda a termo, e compra e venda de moeda estrangeira com liquidação em data futura. Mas, até agora, o BC não atuou por meio desses instrumentos.