Economia

Appy: modelo da tributária que coíbe fraude explica redução de mais de 2 pontos na alíquota

Equipe econômica calcula que a alíquota-padrão do IVA Dual será de 26,5%

Bernard Appy, secretário extraordinário do Ministério da Fazenda para a reforma tributária (Leandro Fonseca)

Bernard Appy, secretário extraordinário do Ministério da Fazenda para a reforma tributária (Leandro Fonseca)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 8 de maio de 2024 às 15h05.

Última atualização em 8 de maio de 2024 às 15h37.

O secretário extraordinário de reforma tributária do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, disse nesta quarta-feira, 8, que o modelo de aproveitamento de crédito vinculado ao recolhimento do imposto e o "split payment" vão reduzir fraudes — o que, isoladamente, será responsável por permitir uma redução em mais de dois pontos na alíquota sobre consumo.

"Isso sozinho explica uma redução de mais de dois pontos na alíquota do imposto. Se tirar isso do projeto e mantiver o nível atual de sonegação, será mais de dois pontos maior a alíquota", disse Appy em audiência na Câmara dos Deputados.

A equipe econômica calcula que, conforme a regulamentação enviada ao Congresso, a alíquota-padrão do IVA Dual será de 26,5%.

Appy reforçou que o sistema proposto visa reduzir fraudes e sonegação e que, se for retirada da regulamentação a vinculação do crédito ao recolhimento do tributo, ficará aberto o caminho para a emissão de notas frias.

"Hoje isso já é um grande problema no ICMS, e pode ficar ainda maior, já que vai ter crédito sobre serviços, que é muito mais difícil de provar se o serviço foi prestado ou não", explicou Appy.

"Então estou criando essa restrição de que só vai ter crédito quando for pago, mas, em compensação, vai ter efeito muito relevante resultando numa alíquota mais baixa", disse o secretário, argumentando que esse modelo vai beneficiar os bons pagadores, tendo um efeito pequeno sobre a liquidez das empresas.

Acompanhe tudo sobre:ICMSReforma tributária

Mais de Economia

Câmara aprova taxação de compras em sites como Shein e AliExpress; texto segue para sanção

Exclusivo: o que pode mudar na PEC que amplia autonomia do BC e pode economizar R$ 5 bi

Pacheco devolve parte da MP sobre créditos do PIS/Cofins

Banco Mundial projeta crescimento global de 2,6% e de 2,2% para o Brasil em 2024

Mais na Exame