Ciência

Primeiro transplante de cabeça é marcado para 2017

Procedimento será realizado pelo médico italiano Sergio Canavero no voluntário russo Valery Spiridonov, de 30 anos

Valery Spiridonov: voluntário deve ser o primeiro a ser submetido a um transplante de cabeça (Reprodução/YouTube/RT)

Valery Spiridonov: voluntário deve ser o primeiro a ser submetido a um transplante de cabeça (Reprodução/YouTube/RT)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 14 de setembro de 2015 às 13h05.

Última atualização em 17 de novembro de 2017 às 17h20.

São Paulo – O primeiro transplante de cabeça da história foi marcado para 2017. O paciente será o russo Valery Spiridonov. Ele foi voluntário para o experimento.

Anúncios anteriores apontavam para a ideia de que o procedimento pudesse ser realizado daqui a dois anos. Agora, no entanto, foi definido que será possível realizar o transplante em 2017.

Spiridonov sofre de uma doença muscular terminal chamada Síndrome de Werdnig-Hoffman. A expectativa do homem de 30 anos é que sua vida seja aumentada em alguns anos graças ao transplante.

O médico responsável será o neurocirurgião italiano Sergio Canavero, que é diretor do grupo de neuromodulação avançada, que fica em Turim, na Itália. Canavero anunciou o plano de realizar o primeiro transplante de cabeça em 2013.

“Tenho muito interesse em tecnologia e qualquer assunto progressivo que possa mudar a vida das pessoas para melhor”, disse Sporidonov em uma entrevista ao Russia Today há alguns meses.

A ideia é transplantar a cabeça de Spiridonov para um corpo que tenha sofrido morte cerebral. A cirurgia não é simples.

Estima-se que ela dure 36 horas e tenha um custo estimado de 11 milhões de dólares. Seriam necessários 150 médicos e enfermeiros no processo.

Para que a cirurgia possa ser realizada, é preciso que a cabeça de Spiridonov e o corpo do doador sejam resfriados durante o procedimento.

“De acordo com Canavero, se tudo correr como planejado, dois anos é o tempo necessário para verificar os cálculos científicos e realizar todos os planos para o procedimento”, disse Spiridonov a uma agência de notícias europeia.

Acompanhe tudo sobre:MedicinaSaúde

Mais de Ciência

Einstein estava certo sobre a gravidade em buracos negros, diz estudo

'Saquinho' de nicotina ganha adeptos para perda de peso

Usuários do Wegovy mantêm perda de peso por quatro anos, diz Novo Nordisk

Meteoros de rastros do Halley podem ser vistos na madrugada de domingo

Mais na Exame