Casual

O barulho da Kenner: com Anitta e ‘passinho’, marca de sandálias quer conquistar os EUA

Fundada há 35 anos, a Kenner criou laços com a música e a cultura de rua, e hoje possui embaixadores como L7nnon e Anitta

Anitta e Masego, embaixadores da Kenner para campanha nos Estados Unidos. (Kenner/Divulgação)

Anitta e Masego, embaixadores da Kenner para campanha nos Estados Unidos. (Kenner/Divulgação)

Júlia Storch
Júlia Storch

Repórter de Casual

Publicado em 21 de maio de 2024 às 07h43.

Tudo sobreModa
Saiba mais

O "barulho" da Kenner não trata apenas da fase de expansão e internacionalização da marca carioca de sandálias, mas de vídeos de dança estilo passinho com os chinelos estalando no chão, como uma batida própria. Fundada há 35 anos, a marca criou laços com a música e a cultura de rua, e hoje possui embaixadores como L7nnon e Anitta, responsável na divulgação da marca para os Estados Unidos.

“A Kenner tem uma questão de contracultura muito forte que ajuda muitas pessoas a expressarem suas personalidades e seus pontos de vista. A Kenner foi adotada pelo movimento de cultura de rua, e ao longo dos anos, foi gradualmente sendo adotada por perfis de consumidores que ganharam oportunidades de se expressarem”, diz Thomas Simon, CEO do Grupo S2, que além de Kenner, é proprietária das marcas Cantão e Redley.

A expressão dos consumidores também funciona como um marketing orgânico para a Kenner. Há três anos foi lançada a música De Kenner, hoje com 2,4 milhões de visualizações no YouTube e 11,7 milhões de streams no Spotify.

“Um belo dia nos perguntaram se sabíamos quantas músicas existiam sobre a Kenner. Ficamos absolutamente impressionados, porque a marca e o produto começaram a ficar tão presentes no cotidiano das pessoas que elas começaram a mostrar como a marca ajuda a expressá-los. A música do FBC é impressionante porque ele fala de Kenner e o que a marca representa para o cotidiano dele. É uma relação muito especial e valorizamos muito”, diz Simon.

Além de FBC, o rapper L7nnon, com mais de 11,4 milhões de ouvintes mensais no Spotify, sempre foi consumidor de Kenner.

"A linha de Kenner com o L7nnon, faz parte de uma relação de muitos anos, que começou com um indivíduo que não era famoso e que hoje, numa posição de sucesso, continua a ver o valor e a importância da marca".

A coleção com L7 conta com modelos infantis, a partir de 149 reais a sandálias de 349 reais.

yt thumbnail

No marketing pago a marca também vê a música como meio de crescimento com contratações de artistas embaixadores como Anitta e rapper jamaicano Masego. Os nomes não foram escolhidos ao acaso, mas como parte da estratégia de internacionalização. E o primeiro lugar selecionado foi Miami.

“Queremos levar essa potência do Brasil para fora com a Anitta. A escolha de Miami partiu a partir da proximidade cultural com o Brasil, pela conexão com a América Latina, e por ser uma cidade com o clima parecido com o nosso, além de ser um ponto de cultura, arte, moda e lifestyle”, diz Simon.

No momento a Kenner está em soft opening no e-commerce internacional que atende a todo território americano, e dentro de algumas semanas iniciará o envio para os demais países do mundo.

No entanto, a estratégia da Kenner é apresentar a cultura brasileira e mostrar que os calçados também fazem parte da cultura de rua local. “A nossa proposta de marca não é ficar levando o Brasil para outros mercados, mas elevar uma cultura de rua, respeitando e adaptando para aquilo que é importante para cada mercado, sem perder a nossa essência”, diz.

No entanto, não são todos os países que se adaptam à cultura de Kenner, como Mônaco, cita o CEO, que vê Paris como um próximo destino para a marca.

Kenner: modelo Rakka Mezkla. (Divulgação/Divulgação)

Para o mercado internacional, o foco será nos “open sneakers”, sapatos mais fechados, e produtos exclusivos como a Rakka Boot, Rakka Mezcla, Rakka Cross, entre outros, com preço variando entre 85 dólares e 150 dólares. O ticket médio para os EUA é de 130 dólares, enquanto no Brasil este valor se aproxima dos 140 reais (28 dólares).

“As características dos nossos produtos são a robustez, durabilidade, conforto e design. Como o Kenner é muito durável, indestrutível basicamente, o consumidor começou a perceber que as sandálias são um ótimo negócio, e são usadas por um grupo de consumidores que basicamente usa sandália no cotidiano”, diz Simon.

No ano passado a marca vendeu 6,5 milhões de pares e em 2024 pretende crescer 20%. Com a presença de Anitta, e todo o barulho que envolve a artista, a Kenner quer aumentar a clientela feminina e o volume faturado para esse público, além de aumentar em 57% o portfólio para elas.

"Estamos desenvolvendo produtos de altíssima qualidade para o mercado internacional. O que mostra que o Brasil tem competência, talento criativo e a capacidade de produzir produtos excepcionais para estar em qualquer lugar do mundo". Seja na música ou na moda.

Acompanhe tudo sobre:ModaCalçadosAnittaMúsica

Mais de Casual

Não é só elétrico: Audi aposta em carros híbridos e a combustão no Brasil

Tramontina aposta em presentes personalizados para o Dia dos Pais

Elementos da natureza inspiram nova coleção da Pandora. Confira

Quanto custa comer nos dois restaurantes brasileiros entre os 50 Melhores do Mundo

Mais na Exame