Casual

Manada de elefantes voa 7 mil km para voltar ao seu habitat natural

Após anos de planejamento, ONG comandada por pela esposa do primeiro-ministro Boris Johnson comandará o traslado de 13 elefantes reprodutores de volta à África

Elefantes africanos:  (Martin Harvey/ WWF/Divulgação)

Elefantes africanos: (Martin Harvey/ WWF/Divulgação)

G

GabrielJusto

Publicado em 6 de julho de 2021 às 15h10.

Uma manada de elefantes, atualmente vivendo em um parque de animais no sul da Inglaterra, será enviada de avião para o Quênia, onde será reintroduzida em seu hábitat natural. Segundo a Fundação Aspinall, que organiza a operação, é a primeira vez que isso será feito.

A diretora de comunicação desta organização conservacionista é Carrie Johnson, mulher do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Nesta operação, 13 elefantes serão transferidos no ano que vem do Howletts Wild Animal Park, em Kent, para o sul do Quênia, a 7.000 quilômetros de distância. A Fundação Aspinall quer transportar por via aérea esta manada, uma carga de 25 toneladas que inclui Nguvu, um filhote de elefante nascido em março de 2020.

"Depois de anos pesando riscos e benefícios, nos decidimos por esse projeto sem precedentes, realmente inédito no mundo", escreveram Carrie Johnson e o presidente da Fundação, Damian Aspinall, nas colunas do jornal The Sun.

"É a primeira vez que se reintroduz uma manada de elefantes reprodutores na natureza", acrescentaram.

Acompanhe tudo sobre:ÁfricaAnimais em extinçãoBoris JohnsonQuêniaReino Unido

Mais de Casual

Resort do Four Seasons nas Bahamas é repaginado por Jacquemus

Tadáskía: o novo nome brasileiro presente no MoMA

Conheça o laboratório subterrâneo de Paris que revela os segredos das obras de arte

Disney planeja grandes investimentos para parques temáticos

Mais na Exame