A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Galvão Bueno: de 'aposentado' a meme na Olimpíada de Tóquio

Ao encerrar a Copa de 2010, na África do Sul, o narrador deu a entender que se aposentaria, mas até hoje segue firme na Globo, inclusive rendendo memes, e deve narrar a Copa do Catar em 2022

Era 11 de julho de 2010 quando a Espanha venceu a Holanda por 1 a 0 na prorrogação, encerrando a Copa do Mundo da África do Sul. Minutos depois, em um papo ao vivo com Tiago Leifert, então apresentador esportivo da Globo, Galvão Bueno anunciou o que todo mundo achou que seria a sua aposentadoria: "A próxima Copa é no Brasil e, depois, a outra... Como diria Jânio Quadros... Pode ser que lá estarei, mas não trabalharei, apenas assistirei", disse o narrador, emocionado.

Mais de 10 anos depois, Galvão continua sendo o número 1 das transmissões esportivas da Globo. Narrou a Copa de 2014, no Brasil, a de 2018, na Rússia e, aparentemente, estará presente (e trabalhando!) na Copa do ano que vem, no Catar. Nesta quinta (29), Galvão virou até meme ao narrar com toda sua emoção a conquista da prata de Rebeca Andrade na ginástica artística. Mas, afinal, o que aconteceu com a aposentadoria do Galvão? Por que, após anunciar que "não estaria trabalhando, apenas assistindo", o narrador segue na telinha do plimplim?

Segundo o próprio Galvão, tudo não passou de um mal entendido - certamente provocado pelas altas emoções da final entre Espanha e Holanda. Naquela época, seu contrato com a Globo vigorava até 2018. Passada a Copa da Rússia, no final daquele ano, o narrador renovou com a emissora até 2022, garantindo sua participação na Copa do Catar. E mais recentemente, em 2020, em uma conversa com o apresentador Fábio Porchat, Galvão explicou o tal mal entendido.

"Eu nunca falei que ia me aposentar. As pessoas entenderam errado. No final da Copa de 2010, confesso que não me via narrando a Copa de 2018 na Rússia. E como a Copa de 2014 seria no Brasil e na de 2010 eu estava completando 10 Copas do Mundo, ali eu falei que queria ter um minuto meu, na final que a Espanha ganhou da Holanda. Depois, eu disse que faria minha última transmissão de Copa do Mundo no exterior, fui para Rússia e agora não sei mais para onde eu vou. Não consigo ficar parado em casa. Como vou me aposentar?”, disse Galvão à Porchat.

A participação do decano do esporte da Globo, é verdade, está cada vez mais esporádica. Os poucos campeonatos estaduais que a emissora ainda transmite (Paulista, Gaúcho e Mineiro) são narrados por figuras mais jovens, como Luis Roberto e Cleber Machado, que estão próximos dos 60 anos, e Gustavo Villani, que está perto dos 40. Galvão, com 71 anos, se dedica apenas às grandes competições, como as Olimpíadas.

De acordo com rumores publicados por colunistas de TV, a aposentadoria de Galvão, ao menos em relação à narração dos jogos, está programada para 2022, após da Copa do Catar. Depois disso, caso ainda continue na TV - o que é bem provável -, Galvão deve se fixar como comentarista esportivo, cedendo a cadeira de nº1 para os colegas que passaram uma carreira toda se inspirando no seu trabalho.

"Eu digo sempre, parece um chavão bobo, mas eu sou um vendedor de emoções. Então, eu para vender belo meu produto, ele precisa me emocionar para eu passar esta emoção para os outros", comentou Galvão ao UOL ao renovar seu contrato em 2018. "Eu sou um apaixonado por aquilo que faço. Não penso em parar. Acho que não paro nunca e, como dizia o Chacrinha, eu quero morrer no palco."

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também