Apresentado por CARTAGO

Dia dos Pais: campanha da Cartago explora vantagens da paternidade ativa

Marca de chinelos, slides e sandálias especialista no universo casual convidou Julio Rocha, Manoel Soares e Thiago Queiroz para refletir sobre tema
Thiago Queiroz, do Paizinho Vírgula: convidado pela Cartago para campanha que chama a atenção para o tema paternidade ativa (Cartago/Divulgação)
Thiago Queiroz, do Paizinho Vírgula: convidado pela Cartago para campanha que chama a atenção para o tema paternidade ativa (Cartago/Divulgação)
e
exame.solutionsPublicado em 05/08/2021 às 09:20.

Foi com Dante, hoje com 8 anos, que o criador de conteúdo digital Thiago Queiroz estreou no ofício de pai. Depois vieram Gael, de 6, Maia, de 2, e logo, logo chega a Cora, ainda na barriga da mãe. “Os pais precisam marcar presença na vida dos filhos não só fisicamente mas também emocionalmente”, defende ele, cujo codinome no Instagram é @paizinhovirgulaoficial. “Isso é o que chamo de paternidade ativa”.

Ele é uma das estrelas da campanha de Dia dos Pais da Cartago, conhecida pelas sandálias, chinelos e slides charmosos e confortáveis. As outras duas são o ator Julio Rocha, que ganhou fama com novelas como Duas Caras e Fina Estampa, da Globo, e o jornalista, escritor e apresentador de TV Manoel Soares, cofundador da Central Única das Favelas.

O nome da campanha deixa claro o interesse da grife, que pertence à Grendene, em refletir sobre a paternidade nos dias de hoje: “Pai que compartilha, transforma”.

Mensagens da campanha

Além da campanha da Cartago, Queiroz participa do documentário Pais, um filme original da Apple TV+ que conta com depoimentos de outras personalidades ao redor do mundo, como Will Smith e Neil Patrick Harris.

“No futuro, espero, falar em paternidade ativa não será mais necessário”, torce o influenciador. “A maioria dos homens em breve irá concluir que exercer o papel de cuidador atuante de seus filhos é indispensável. É preciso se engajar tanto na educação propriamente dita quanto nas demais necessidades que surgem ao longo do desenvolvimento”.

No vídeo que gravou para a campanha da Cartago, o ator Julio Rocha também deixou uma mensagem: “Uma das coisas mais importantes da minha vida é participar do dia a dia dos meus filhos, não abro mão disso por nada”, diz ele.

“Aprender a cozinhar com os filhos é uma das coisas mais gostosas do mundo”, diz o ator em outro trecho. “Ser pai não é apenas assistir, acompanhar, vê-los crescerem. É estar presente de verdade, por inteiro, a cada segundo, sejam eles bons ou ruins”. O vídeo completo você confere no canal da marca no Instagram (@sandcartago).

Modelos para presentear

Para a campanha de Dia dos Pais deste ano, que será no domingo de 8 de agosto, a Cartago selecionou cinco modelos de chinelo de dedo. Em conjunto, os calçados são apropriados para os mais diversos cenários e situações casuais — das ligeiramente formais às mais esportivas. O Cartago Mônaco, por exemplo, tem sola macia e anatômica e elevação no calcanhar para reforçar o conforto. Robusto, está à venda por 79,99 reais.

Bem mais esportivo, o Cartago Atenas exibe os mesmos predicados que o outro calçado e uma combinação de cores que não passa despercebida. O modelo custa 59,99 reais. O Cartago Mali, por sua vez, destaca-se pelo bico quadrado e as tiras grossas, grandes aliadas na hora de bater perna por aí. Preço: 69,99 reais.

Outro representante é o Cartago Versalhes, à venda por 79,99 reais. Remete ao clássico minimalismo, tem textura de gomos e vem com um nécessaire exclusivo.

Inserido no território esportivo, outro representante é o Cartago Sevilha, também a 69,99 reais. É o mais descontraído da coleção. Está disponível em seis combinações de cores e todas remetem a dias ensolarados. Uma das opções combina laranja, azul-escuro, vermelho e branco.

“Como bom carioca, uso chinelos a maior parte do dia, seja em casa ou na rua”, informa Thiago Queiroz. “Da minha família acredito ser o maior entusiasta do acessório, de extrema importância para o meu estilo de vida”. Espelha a maneira despojada com que ele encara a vida, e isso envolve, naturalmente, a paternidade. “Enxergo os chinelos como um abraço nos pés”. E que pai não gosta de abraço?