Da torra à harmonização: Semana Internacional do Café terá lançamentos e eventos em Belo Horizonte

Durante os três dias de programação, os participantes poderão comparecer aos mais de 20 eventos de conteúdo e premiações

Semana Internacional do Café: oportunidades de negócios e conexões no setor (Alexandre Rezende/NITRO/Divulgação)
Semana Internacional do Café: oportunidades de negócios e conexões no setor (Alexandre Rezende/NITRO/Divulgação)
Carolina Gehlen
Carolina Gehlen

Head of Design

Publicado em 8 de novembro de 2023 às 10h15.

Última atualização em 8 de novembro de 2023 às 13h12.

Nesta quarta-feira, 8 de novembro, a capital mineira se torna o centro do setor de café no Brasil, com o início da 11ª edição da Semana Internacional do Café (SIC) no Expominas. Este evento, que se estende até 10 de novembro, reúne produtores de café de todo o país e compradores de diversas partes do mundo, oferecendo oportunidades de negócios e conexões no setor.

O tema da edição de 2023 é “Origens produtoras: Uma visão de futuro para uma nova cadeia do café”. São esperadas mais de 20 mil pessoas, de até 40 países, abrindo espaço para conexões e transações comerciais para todo o setor. A feira nasceu em 2013 em Belo Horizonte, para receber a celebração dos 50 anos da Organização Internacional do Café (OIC).

A SIC tem foco nas transações B2B, incluindo desde produtores de café, passando por representantes de empresas que atuam em todas as etapas da cadeia produtiva de seleção, processamento e embalagem do grão, chegando até grandes e pequenos empresários do setor. Além disso, o evento conta com a participação de agrônomos, mestres de torra, baristas e representantes de segmentos complementares, como o de leites vegetais.

Lançamento

Neste ano, a Nescafé abre a Semana Internacional do Café com o lançamento de uma edição inédita e limitada em colaboração com o músico Lucas Lima. O "Nescafé Gold Torra de Autor por Lucas Lima" celebra o papel fundamental da torra do café, estabelecendo uma ligação poética entre os especialistas responsáveis por essa etapa na produção do grão e os maestros de orquestras.

Nayra Caldas, barista e mestre de torra envolvida no projeto, revela que a criação de um novo café demanda por volta de sete meses, abrangendo a seleção do café, degustação, visitas às fazendas, definição de embalagem, criação de arte, conceito, estratégia de comunicação e planejamento do lançamento. A linha "Torra de Autor" da Nescafé Gold, concebida em 2019, já se uniu a importantes nomes do setor, como Hugo Wolff, Bruna Mussolini e Thiago Sabino, em edições limitadas de café torrado por eles.

No processo de criação de perfil tudo depende da qualidade do grão e da bebida e o uso pretendido, método de extração usado, público etc. Nayra explica que são muitos detalhes que demandam atenção, estudo e cuidado, não somente o café em si. “Depende do café e do tempo disponível para a criação do perfil de torra, já que são muitas etapas desde a prova inicial para conhecer o potencial do grão, o estudo dos gráficos gerados, o tempo de pausa para provar o café pós-torra até chegar no perfil final desejado. Além disso, o processo também envolve um time multidisciplinar, além do mestre da torra, para a definição da melhor embalagem, conceito, design, estratégia de comunicação e planejamento do lançamento.”

Café pode ser música para os ouvidos, basta um bom mestre de torra como maestro. É por meio dessa conexão que o músico foi escolhido como o embaixador da marca há três anos e se insere no lançamento: foi ele que conduziu a escolha dos grãos colhidos na Fazenda Irmãs Pereira, em Carmo de Minas, até a torra, elaborada por Nayra.

Nescafé Gold lança edição inédita na abertura da 11ª Semana Internacional do Café em Belo Horizonte. (Divulgação/Divulgação)

O café "Nescafé Gold Torra de Autor por Lucas Lima" para método filtrado foi produzido à base de grãos especiais 100% arábica, cultivados em solo mineiro e torrados em um ponto médio. Apresenta doçura acentuada e notas aromáticas frutadas, e recebeu 84 pontos da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), instituição que monitora a qualidade dos cafés. Para obter a certificação de "especial" é necessário alcançar uma pontuação superior a 80 e manter 100% de pureza dos grãos, sem defeitos primários.

E Nayra indica: “É um café que vai bem com um pão de queijo ou com pão na chapa com bastante queijo. Prefiro com alimentos salgados para acentuar ainda mais a doçura do café”.

A sugestão de consumo da barista é de um café mais diluído, “sempre preparo receitas maiores para dar aquela acordada pela manhã. Então parto de uma proporção de uma parte de café para 16 partes de água, mas, para simplificar, uso 30 g de café para 500 ml de água aproximadamente, mas se quero mais concentrado uso 50 g para 500 ml de água,” completa Nayra.

“Entendemos que, ao lado de um artista das dimensões do Lucas, o projeto Torra de Autor ganhou oportunidade para desmistificar e simplificar ainda mais o entendimento sobre o café especial. Nosso desejo é aproximar o consumidor desse universo tão vasto e profundo que é o café especial, democratizando verdadeiramente os conhecimentos sobre o tema”, finaliza Gabriela Monsanto, gerente de marketing de Nescafé Gold.

Durante os três dias de evento, os participantes poderão comparecer aos mais de 20 eventos de conteúdo e premiações, como o concurso Coffee of the Year Brasil 2023, em que os melhores cafés brasileiros da safra nova serão conhecidos; o Encontro Mineiro das Cooperativas de Café e o Campeonato Brasileiro de Barista, cujo campeão irá representar o Brasil no campeonato mundial em 2024.

Acompanhe tudo sobre:CaféNescaféBebidas

Mais de Casual

Os quatro segredos de viagem dos super ricos

'A Sociedade da neve' ganha seis categorias no Prêmio Platino

Hotel das Cataratas abre novo restaurante com menu assinado e vista para as quedas

Perto dos 90 anos, Giorgio Armani não descarta abrir capital ou possível fusão

Mais na Exame