Casual

Bono, do U2, diz que pode nunca mais tocar guitarra

Bono disse que não lembra como terminou em um hospital em Nova York com o osso de seu braço superior para fora de sua jaqueta de couro


	Bono Vox disse que não lembra como terminou em um hospital em Nova York com o osso de seu braço superior para fora de sua jaqueta de couro
 (Fabrizio Bensch/Reuters)

Bono Vox disse que não lembra como terminou em um hospital em Nova York com o osso de seu braço superior para fora de sua jaqueta de couro (Fabrizio Bensch/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de janeiro de 2015 às 18h56.

Nova York - Bono Vox, líder da banda de rock irlandesa U2 que ficou ferido em um acidente de bicicleta no ano passado, disse nesta sexta-feira que sua recuperação não está sendo fácil e que ele pode nunca mais tocar guitarra.

Em um blog no site do grupo, o roqueiro de 54 anos descreveu como apagou com o impacto em um acidente com bicicleta no Central Park, em Nova York, pelo qual ele disse não poder culpar ninguém além dele mesmo.

"A recuperação tem sido mais difícil do que eu pensei", disse ele em uma mensagem escrita de sua casa em Dublin, na Irlanda. "Enquanto eu escrevo isso, não está claro se eu vou tocar guitarra novamente algum dia. A banda tem me lembrado que nem eles nem a civilização Ocidental estão dependendo disso."

Bono, que incluiu um raio-X de seu ombro no blog intitulado "Pequeno Livro de um Grande Ano A a Z de 2014 de Bono", disse que não lembra como terminou em um hospital em Nova York com o osso de seu braço superior para fora de sua jaqueta de couro.

"Muito punk rock no que se refere às lesões", acrescentou ele.

O braço de Bono foi quebrado em seis partes. Os médicos inseriram três placas de metal e 18 parafusos para reparar a lesão. Foram necessárias horas de cirurgia para as fraturas e terapia extensiva. Mas Bono deve ter recuperação completa.

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-transitoBicicletasCelebridadesmobilidade-urbanaTrânsitoU2

Mais de Casual

Alfaiataria desconstruída para o verão: a nova coleção de Ferragamo

'Michelin' dos azeites elege marca brasileira como melhor do mundo

Carro histórico que pertenceu a Senna é colocado à venda por R$ 3,2 milhões

Após Nova York, Swarovski inaugura flasgship em Milão

Mais na Exame