Trabalho remoto: 5 passos para ter sucesso como liderança remota

Como ser uma liderança remota? Confira das dicas do CEO da Officeless no podcast da Exame
Liderança remota: “Você precisa pensar na experiência de quem está remoto primeiro" (Denis Novikov/Getty Images)
Liderança remota: “Você precisa pensar na experiência de quem está remoto primeiro" (Denis Novikov/Getty Images)
Por Luísa GranatoPublicado em 13/05/2022 09:00 | Última atualização em 13/05/2022 10:54Tempo de Leitura: 5 min de leitura

Como vou saber se todos estão trabalhando? O home office mudou a forma de pensar o trabalho – e também mudou a forma de fazer a gestão de equipes. Se você se faz essa questão, está na hora de aprender sobre a mentalidade necessária para um modo de trabalho mais flexível.

Se antes um chefe podia ver que horas as pessoas chegavam e o que estavam fazendo em suas mesas, agora não é mais possível fazer isso. Mesmo com o trabalho híbrido, é mais complicado garantir que todos estarão presentes no mesmo dia e controlar como o trabalho está sendo feito.

Leia também:

A falta de preparo para lidar com essa realidade já mostra seus efeitos: um dos destaques da pesquisa da Microsoft sobre tendências no trabalho foi a preocupação com o sentimento de precisar estar sempre conectado ao trabalho.

Para 53% dos profissionais no mundo, a saúde e bem-estar se tornaram prioridades acima do trabalho. No Brasil, essa prioridade foi a maior entre os países do estudo e 71% declararam que a preocupação com o bem-estar é maior do que antes da pandemia.

Assim, os líderes precisam de novas ferramentas para navegar essas transformações. No novo episódio do podcast Entre Trampos e Barrancos, Rafael Torales, fundador e CEO do Officeless, plataforma que ajuda empresas adotar o trabalho remoto, fala sobre essas mudanças.

O executivo vai participar de uma série de episódios com dicas para o trabalho remoto e sobre os desafios dos novos modelos de trabalho.

Confira o primeiro episódio aqui: 

“O que percebemos ao longo dos dois últimos anos, é que é muito diferente simplesmente trabalhar à distância de trabalhar à distância de forma profissional, quando você investe intencionalmente em criar uma cultura remota dentro da equipe”, diz o CEO.

Ele fala que os problemas que foram se acumulando no trabalho ao longo da pandemia, como a falta de organização da agenda, mensagens de WhatsApp fora do expediente e reuniões em excesso são sintomas da falta de um investimento nessa nova cultura.

Confira os cinco passos para a liderança remota de sucesso:

1. Mentalidade “remote first”

Se tem uma pessoa remota, todo mundo está remoto. Essa é frase que resume a nova mentalidade de trabalho.

“Você precisa pensar na experiência de quem está remoto primeiro. Como investir para que as coisas funcionem sempre à distância, os rituais, a gestão de como o trabalho acontece no dia a dia”, diz o CEO.

E essa mentalidade precisa estar em todo mundo, porém é papel da liderança promovê-la.

2. Infraestrutura digital

Para fazer o trabalho remoto, todo o profissional precisa acessar arquivos e realizar suas atividades no meio digital. Assim, é preciso oferecer as ferramentas digitais necessárias para substituir o analógico.

Onde se concentram as informações da empresa? Qual a plataforma de videoconferência? Qual o canal de comunicação assíncrona? A empresa precisa dessa estrutura e o líder precisa dominar as novas ferramentas.

“A escolha de ferramentas dita a cultura que quer implementar. Não pode escolher de forma aleatória, pois elas dirão se o espírito é mais de vigilância ou de mais flexibilidade”, diz o executivo.

3. Comunicação assíncrona

A comunicação presencial acaba tendo o sincronismo como padrão. É a reunião de última hora para resolver um detalhe do projeto, a conversa no café e uma pergunta ao passar na mesa do colega.

Como o trabalho remoto, isso não é sempre possível. “Com mais flexibilidade e mais autonomia, as rotinas se tornam diferentes. As pessoas têm diferentes horários ou até fusos”, diz.

Assim, é necessário mudar a forma de comunicação para trocar informações e tomar decisões sem que todos precisem estar na mesma conversa ao mesmo tempo. Sem esse pilar, os funcionários vão sentir que precisam estar conectados ao trabalho o tempo todo, o que gera cansaço e ansiedade.

4. Gestão sem micro gerenciamento

Como entender se as pessoas estão sendo produtivas sem necessariamente vê-las trabalhar? A liderança precisa migrar suas medidas de produtividade do número de horas trabalhadas para o foco em resultados alcançados.

“As pessoas precisam ter clareza do que precisam entregar dentro de um ano, três meses e no dia a dia”, diz.

5. Investir em rituais

Faz parte dos papeis da gestão pensar em produtividade, mas o trabalho não é só sobre isso. O líder também precisa pensar em como as conexões estão ocorrendo no ambiente híbrido ou com as equipes distribuídas.

O CEO destaca que cada empresa precisa pensar em quais serão seus rituais para voltar a promover ambientes com bem-estar e trazer de volta o benefício do famoso “cafezinho” mesmo à distância. “Mostre que está ok se desconectar e não ficar vendo se chegou mensagem ou notificação”.

 

Dicas de carreira, vagas e muito mais

Você já conhece a newsletter da Exame Academy? Você assina e recebe na sua caixa de entrada as principais notícias da semana sobre carreira e educação, assim como dicas dos nossos jornalistas e especialistas.

Toda terça-feira, leia as notícias mais quentes sobre o mercado de trabalho e fique por dentro das oportunidades em destaque de vagas, estágio, trainee e cursos. Já às quintas-feiras, você ainda pode acompanhar análises aprofundadas e receber conteúdos gratuitos como vídeos, cursos e e-books para ficar por dentro das tendências em carreira no Brasil e no mundo.

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.