Carreira

RH Summit 2024 | ROI do RH: como provar que o setor dá lucro

Confira 5 passos para construir uma gestão de pessoas atrelada ao sucesso do negócio

Mônica Hauck - CEO e fundadora da Sólides no RH Summit 2024

Mônica Hauck - CEO e fundadora da Sólides no RH Summit 2024

Gabriela Cardoso
Gabriela Cardoso

Repórter na Exame Corporate Education

Publicado em 5 de junho de 2024 às 17h10.

Última atualização em 7 de junho de 2024 às 09h49.

Nesta semana o RH Summit está reunindo os maiores gestores de RH do país, em São Paulo, para discutir estratégias inovadoras em gestão de pessoas. O primeiro dia do evento abordou temas como inteligência artificial, conflito de gerações, segurança psicológica e engajamento, mas também trouxe foco para um ponto fraco da cultura de RH que costuma tirar o sono dos líderes do setor: a comprovação de resultados.

“Historicamente o RH nunca precisou sentar na cadeira de resultados, ele sempre foi considerado um setor de apoio. Nós não vamos sair da cadeira de apoio e entrar na de resultados se não alinharmos nossas estratégias com os interesses do negócio”, disse Mônica Hauck, CEO e fundadora da Sólides, durante a palestra O ROI do RH.  

Em sua palestra, Mônica delineou cinco passos essenciais para uma gestão de pessoas atrelada ao sucesso do negócio. 

Passo 1: o RH precisa aumentar sua influência com as lideranças de todas as áreas

O objetivo aqui é ter conhecimento das metas de cada área, para que o RH possa colaborar de forma estratégica por meio de um bom recrutamento, um programa de treinamento, gestão de conflitos e até ações de engajamento. 

Passo 2: alinhamento de interesses e orçamento

Depois de ter as metas da empresa em mãos, é preciso alinhar com as lideranças e a presidência as práticas de RH que devem ser prioridades e buscar também orçamento para realizá-las de forma mais ágil e eficaz. “As boas práticas do RH precisam estar conectadas à saúde do negócio para terem o devido investimento e reconhecimento. O RH pode ter metas de venda e de produtos atreladas à gestão de pessoas”, destacou Mônica.

Passo 3: primeiro os dados e depois o feeling

Para comprovar resultados é preciso mapear dados e fazer análises, hoje o mercado conta com diversas ferramentas de dados para gestão de pessoas, recrutamento e seleção. O RH precisa criar metas, levantar indicadores e começar a medir os resultados, o valor, a redução de tempo e de custos dos processos. “Uma gestão focada em dados não exclui uma gestão humana, existe um gap muito grande em relação a isso na nossa cultura corporativa", complementou Mônica.

Passo 4: o RH precisa formar a liderança para gerir pessoas

Um bom recrutamento precisa ser alimentado por uma boa gestão de desempenho, caso contrário, o RH só vai enxugar gelo. Segundo Mônica, a gestão de pessoas precisa seguir uma jornada fluida, e para isso o RH precisa desenvolver habilidades socioemocionais e analíticas na liderança, por meio de programas de educação e treinamento, para garantir um ambiente produtivo e saudável.  

Passo 5: o RH precisa criar uma mentalidade de causa e efeito de suas atividades com o CEO 

O RH não é inofensivo. Uma gestão de pessoas feita de forma ineficiente estrangula o fluxo de caixa e engole a margem das empresas, enquanto um RH com uma jornada estratégica joga uma empresa para cima. 

Antes mesmo de analisar dados, como taxas de turnover, retenção, engajamento, promoção e aprendizagem, é preciso compreender que todas as pessoas são responsáveis por construir o resultado exposto na estratégia da empresa.

"A pessoa que eu contrato hoje vai interferir no resultado do próximo ano. RH não é só apoio, é estratégia, uma empresa sem gestão de pessoas fecha as portas”, concluiu Mônica.

Acompanhe tudo sobre:Recursos humanos (RH)

Mais de Carreira

Rage Applying: Conheça a tendência de desligamento que está crescendo com a Geração Z

RH Summit 2024: confira os destaques do maior evento de RH do Brasil

Saiba como desbloquear o potencial da sua empresa com o “novo mosaico da cultura organizacional”

Veja 7 dicas infalíveis para conseguir um aumento de salário

Mais na Exame