Presidente da Bayer conta história revoltante sobre racismo

Publicação de Theo Van der Loo, presidente da Bayer Brasil, sobre caso de racismo foi feita no LinkedIn há poucos dias
 (./Divulgação)
(./Divulgação)
C
Camila PatiPublicado em 29/03/2017 às 14:45.

São Paulo – Theo Van der Loo, presidente da Bayer Brasil, compartilhou em seu perfil do LinkedIn um texto  sobre um caso "revoltante e inaceitável" de racismo envolvendo uma pessoa da sua rede de contatos, no dia 24 de março

Segundo o executivo, o profissional, que é afro-descendente, tem excelente formação e currículo e foi fazer uma entrevista de emprego. Van der Loo não revelou o nome da empresa que conduzia o processo seletivo.

“Quando o entrevistador viu sua origem étnica disse à pessoa de RH que ele não sabia deste detalhe e que não entrevistava negros”, escreveu Van der Loo.

Ao ouvir a história, o presidente da Bayer disse que sugeriu que o seu amigo fizesse uma denúncia. A prática de racismo é crime previsto na Lei n. 7.716/1989.

“Aí outra surpresa! A resposta: ‘pensei, mas achei melhor não fazer, pois posso queimar minha imagem. Sou de família simples e humilde, custou muito para chegar aonde cheguei’”, contou Theo Van der Loo.

O texto, publicado no dia 25 de março, tem mais de 2,5 mil curtidas e centenas de comentários. O executivo tem 12 mil seguidores no seu perfil no LinkedIn.