Carreira

O que é o cartão multibenefícios e quais as principais vantagens para empresas

O cartão multibenefícios é aceito em estabelecimentos de alimentação, cultura e saúde, por exemplo. Veja o que diz a lei sobre a destinação de valores

 (Oleg Breslavtsev/Getty Images)

(Oleg Breslavtsev/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 15 de abril de 2024 às 19h15.

O cartão multibenefícios ficou bem comum no Brasil, principalmente a partir de 2020, quando o número de empresas em home office aumentou exponencialmente. Naquele ano, um levantamento do IBGE apontou que 7,9 milhões de brasileiros trabalhavam de casa. 

Empresas encontraram a importância de, então, buscar por benefícios mais flexíveis, que permitissem o pagamento de alimentação em aplicativos, por exemplo. E essa modalidade, além de ser aceita em diversas categorias diferentes de produtos e serviços, tem uma ótima cobertura para pagamento à distância. 

Desde 2020, muita coisa mudou e uma nova legislação estabeleceu diretrizes atualizadas sobre pagamentos multibenefícios. Neste guia, esclarecemos as mudanças, funcionamento, na prática, e vantagens para empresa e colaboradores.

O que é um cartão multibenefícios?

O cartão multibenefícios é uma solução unificada de pagamento de vales para colaboradores da CLT. Dessa forma, podem usar o saldo com liberdade de escolha, tanto dos valores, quanto dos estabelecimentos que serão usados.

Em um único cartão, é possível usar o saldo depositado para ir ao restaurante, farmácia e supermercado. Com valores centralizados em um único meio de pagamento, fácil e prático de usar.

Use esse checklist para aprimorar sua estratégia de benefícios corporativos e tomar decisões embasadas em dados.

No entanto, houve mudanças sobre o uso desse meio de pagamento. Até a criação da Lei n.º 14.442/22, que trouxe novas regras sobre o vale-alimentação, as empresas multibenefícios não tinham uma divisão sobre o uso do saldo. 

Uma pessoa poderia ir ao shopping comprar uma blusa com o saldo do cartão, caso a loja o aceitasse.

A partir da nova legislação, foi estabelecido que as empresas devem garantir o uso do vale-alimentação para, de fato, a compra ou consumo de alimentos. Esse fim não pode ser desviado para outros objetivos. 

Essa regra vale tanto para empresas cadastradas no PAT, quanto para a legislação geral da CLT.

O que acontece, agora, é o seguinte: parte do valor depositado fica fixo na modalidade alimentação/refeição e a outra parte pode ser usada para diversos benefícios, que envolvem cultura e saúde. 

Limites para alimentação ficam travados e não podem ser realocados. Mas isso não deixa o uso dos cartões multibenefícios menos atrativos — pelo contrário, ainda são soluções bem interessantes para companhias que queiram melhorar o rol de benefícios.

Como funciona um cartão multibenefícios?

Como já adiantamos, o cartão multibenefícios reúne vários objetivos de gastos relacionados ao trabalho em um único meio de pagamento. Neste caso, você consegue usá-lo para diferentes funções, sem a necessidade de ter vales separados, cada um com um valor recarregado previamente.

Essa separação acaba reduzindo a flexibilidade do colaborador de escolher a melhor fonte para os seus gastos naquele mês. É possível que em um período do ano a pessoa esteja comendo em restaurantes e fazendo menos compras no supermercado. Depois de um tempo, retornou ao preparo de marmitas em casa.

De um mês para o outro, ela consegue fazer a gestão dos valores de maneira prática e flexível, como for melhor para si. 

Isso porque o cartão multibenefícios funciona como uma espécie de cartão de crédito. Havendo credenciamento com a emissora do cartão, é só fazer o pagamento! 

Onde aceita cartão multibenefícios?

O cartão multibenefícios centraliza uma série de vales oferecidos pelas empresas aos colaboradores. Veja, a seguir, os principais locais que o aceitam:

  • Restaurantes, padarias, lanchonetes e serviços de delivery, que geralmente aceitam o vale-refeição;
  • Supermercados, mercearias, açougues ou lojas de conveniência, geralmente credenciadas ao vale-alimentação;
  • Postos de gasolina, uso em aplicativos de transporte e aluguel de veículos, incluídos na maioria das vezes no auxílio (ou vale) mobilidade;
  • Teatro, shows, compra de livros ou instrumentos musicais, além dos outros produtos vinculados ao pagamento do vale-cultura;
  • Farmácias, laboratórios, que podem estar dentro do pacote de benefícios de saúde;
  • Empresas que vendem materiais de escritório, como parte do auxílio home-office.

É possível que cartões multibenefícios também auxiliem no pagamento de contas do lar, como a conta de luz — que pode ficar mais cara caso os colaboradores trabalhem em home office. 

Empresas cadastradas no PAT devem garantir que o auxílio seja usado com os destinos de alimentação e refeição. Neste caso, emissoras como a Flash Multibenefícios conseguem estabelecer um limite fixo.

A função restringe parte do limite do cartão aos estabelecimentos de alimentação e refeição. O restante pode ser usado para qualquer uma das finalidades listadas acima, reforçando que esse cartão segue sendo benéfico para os colaboradores, mesmo após atualizações na lei.   

Vale a pena ter um cartão multibenefícios?

Sim! Pensando sob a ótica da empresa, temos um diferencial competitivo, que pode contribuir na atração e retenção de bons talentos. Isso porque os cartões multibenefícios estão de olho nas necessidades reais dos colaboradores.

A liberdade de escolher onde gastar o benefício pode aumentar os níveis de satisfação da equipe, que entrega resultados com maior qualidade. O pagamento também tem o poder de gerar efeitos positivos na aderência à cultura organizacional da empresa.

Algo comum — mas frustrante — é aquela experiência de perguntar se o estabelecimento aceita o ticket X e receber um não como resposta. Isso acontece com muito menos frequência com cartões multibenefícios, já que a gama de cobertura é bem maior.

Outra vantagem é o uso desses cartões em aplicativos de delivery e transporte, muito usados pelos colaboradores hoje em dia. Os benefícios adicionais — relacionados com a cultura, estrutura de home office e saúde — também ajudam na melhora da qualidade de vida para o time. 

Acompanhe tudo sobre:Flash BenefíciosBenefíciosDireitos trabalhistas

Mais de Carreira

Ela largou o CLT para empreender e agora leva mulheres para estudar liderança nos EUA

Fit cultural: como se preparar para uma entrevista de emprego?

Currículo Lattes é importante para carreira? Saiba como fazer o seu

5 melhores cursos para quem quer ser funcionário público

Mais na Exame