Desemprego no Brasil sobe para 7,1% no primeiro trimestre do ano

Segundo a estatística oficial, o número representa um aumento de 0,9% em relação ao trimestre anterior, mas uma queda de 0,9% ante o mesmo período de 2013

O desemprego da população economicamente ativa no Brasil subiu para 7,1% no primeiro trimestre de 2014, segundo o novo indicador (Pnad Contínua), que começou a ser medido no ano passado e que abrange todo o território nacional, informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a estatística oficial, o número representa um aumento de 0,9% em relação ao trimestre anterior, mas uma queda de 0,9% ante o mesmo período de 2013.

O número médio de pessoas com emprego entre janeiro e março deste ano foi de 91,2 milhões, o que representa um aumento de 2,01% em comparação com o mesmo período de 2013 e um retrocesso de 0,65% frente ao quarto trimestre do ano passado.

O novo índice, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, de periodicidade trimestral, é mais amplo e detalhado que o antigo, a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), publicada mensalmente e que abrange as seis maiores regiões metropolitanas do país.

Segundo o indicador mensal, o índice de desemprego em abril foi de 4,9%, a menor taxa para este mês nos últimos doze anos.

Ambas as estatísticas são consideradas "oficiais" e conviverão até dezembro de 2015, quando a PME deixará de ser publicada.

Segundo o novo indicador, no primeiro trimestre de 2014 o nível de ocupação era de 68,3% entre os homens e de 46,2% entre as mulheres economicamente ativas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.