Bússola
Um conteúdo Bússola

José Dias Salvador: a inteligência artificial pode democratizar os atendimentos no setor de saúde

CEO da Rede Mater Dei fala do investimento em tecnologia para agilizar diagnósticos, aprimorar tratamentos e tornar o sistema mais justo e eficiente

José Henrique Dias Salvador, CEO da Rede Mater Dei de Saúde (MATER DEI/Divulgação)

José Henrique Dias Salvador, CEO da Rede Mater Dei de Saúde (MATER DEI/Divulgação)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 5 de abril de 2024 às 13h15.

Última atualização em 9 de abril de 2024 às 16h13.

Por José Henrique Dias Salvador*

A evolução em novas tecnologias, aliada à inteligência artificial, tem provocado uma verdadeira revolução em todos os aspectos da vida contemporânea. No campo da saúde, essas inovações representam não apenas avanços, mas também uma democratização sem precedentes nos cuidados oferecidos à população em geral. 

Mais excelência assistencial 

Em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, que acontece nesse final de semana, trago a reflexão sobre o papel que a tecnologia vem desempenhando para uma maior excelência nos cuidados com os pacientes. 

Em meio à busca por endereçar as mais diversas necessidades de diagnósticos e tratamentos de doenças, os hospitais têm direcionado investimentos significativos para a incorporação das mais avançadas tecnologias disponíveis. Desde máquinas e equipamentos, até drogas potentes e novas terapias, testemunhamos uma mudança substancial na forma como a jornada de busca por mais saúde tem sido impactada. 

Equidade entre médico-paciente

No entanto, é evidente que a verdadeira transformação está ocorrendo por meio da inteligência artificial. Esta tem se mostrado uma aliada indispensável no campo da saúde, principalmente em três campos: proporcionando capacidade analítica robusta na abordagem dos dados e incorporando elementos de predição que revolucionam as linhas de cuidado, além de ampliar o engajamento do usuário. Esses elementos, não apenas ampliam a capacidade de atendimento, mas também garantem uma maior equidade nas relações médico-paciente. 

Menos burocratização 

Diante da minha experiência como CEO na Rede Mater Dei de Saúde, é inegável perceber que estamos vivenciando a emergência de uma nova era na prestação de cuidados de saúde. Nesse cenário, os cuidados médicos são abordados de forma multidisciplinar, aproveitando ao máximo os avanços tecnológicos disponíveis. Eles permitem maior agilidade e eficiência do diagnóstico aos tratamentos. Certamente as novas tecnologias abrem perspectiva para melhorar a experiência das pessoas, reduzir a burocratização das relações, e aprimorar a assertividade nas medidas de prevenção e tratamento.  

Proteção aos dados do paciente

Embora essas inovações tragam benefícios, elas também impõem desafios. Um deles é a privacidade e a segurança dos dados dos pacientes. Com a crescente utilização de sistemas informatizados, surge a necessidade de garantir que esses dados sejam protegidos contra acessos não autorizados e/ou violações. É fundamental garantir que as decisões clínicas baseadas em inteligência artificial sejam transparentes, justas e supervisionadas por profissionais qualificados. Assim, minimiza-se possíveis consequências negativas aos pacientes. 

Educação contínua em tecnologia 

Também não podemos ignorar a necessidade de treinamento e educação contínua para os profissionais de saúde no uso eficaz da tecnologia e da inteligência artificial. A rápida evolução dessas ferramentas exige uma constante atualização. Essa capacitação permite aproveitar ao máximo o potencial da ferramenta além de garantir segurança e qualidade assistencial. 

Construção de um sistema justo

Em meio a celebração do Dia Mundial da Saúde, devemos não apenas reconhecer o progresso alcançado, mas também renovar o compromisso com a promoção contínua da tecnologia na saúde. Se queremos construir um sistema mais equânime, justo, eficiente e pioneiro, teremos que ter habilidade, coordenação e colaboração para abraçarmos juntos os avanços disponíveis. A Rede Mater Dei trabalha integrada, nos diversos elos da cadeia de saúde, para entregar cada vez mais excelência aos pacientes, colaboradores, operadoras, investidores e todos os atores envolvidos no ecossistema hospitalar. 

*José Henrique Dias Salvador é CEO da Rede Mater Dei de Saúde.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:Setor de saúdeInteligência artificialexame-ceo

Mais de Bússola

O que são contratos de representação comercial e como evitar insegurança jurídica

Como a Positivo aumentou seu lucro líquido em 655% em um ano

A volta da dupla Senna e Shell: marcas firmam parceria para promover lançamento de etanol aditivado

Bússola Cultural: Dia do Orgulho Nerd terá comemoração gratuita em São Paulo

Mais na Exame