Bússola

FDC exporta metodologia de pesquisa para escola de negócios do Marrocos

Escola brasileira e a Africa Business School vão aplicar pela primeira vez a Pesquisa Trajetórias de Internacionalização de Empresas Marroquinas

Fundação fechou parceria com a ABS (Harbucks/Getty Images)

Fundação fechou parceria com a ABS (Harbucks/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 6 de março de 2023 às 17h00.

negócios do mundo de acordo com o Ranking de Educação Executiva do jornal Financial Times –, atravessa o oceano e chega ao Marrocos. Por meio de parceria com a Africa Business School (ABS), o país vai realizar a pesquisa Trajetórias de Internacionalização das Empresas. No Brasil, a pesquisa é desenvolvida e realizada pela FDC, desde 2006, e já foi aplicada em Portugal e na Índia, gerando conhecimento sobre a evolução da internacionalização das empresas, bem como avaliando as estratégias internacionais, os desafios e os resultados desse processo para as empresas nacionais.

“A parceria com a Africa Business School irá nos permitir conhecer mais a fundo as estratégias de competitividade global de empresas de um outro contexto, o de Marrocos. A partir de análises comparativas e casos de sucesso de empresas de lá, poderemos traçar paralelos com as empresas brasileiras e inspirar novas formas de atuação no exterior”, afirma a coordenadora da pesquisa e professora da FDC, Lívia Barakat.

Empresas marroquinas de todos os portes poderão participar do estudo, que será realizado ainda em 2023. De acordo com o professor da Africa Business School e coordenador do estudo, Marcio Amaral-Baptista, a ampla participação será importante pois, com a digitalização, inúmeras empresas já nascem ou podem se tornar globais. Ele conta ainda que os resultados serão segmentados por porte, para que as empresas possam comparar as suas estratégias internacionais com outras empresas.

Através da parceria, a ABS e a FDC vão contribuir para acelerar a internacionalização das empresas marroquinas. “Esta é uma iniciativa importante, pois Marrocos tem o objetivo de buscar o protagonismo no espaço africano e, para isso,  multiplicar o comércio internacional é um dos eixos de desenvolvimento do país. Uma das formas de fazer esse movimento é transferir conhecimento de casos de sucesso de empresas de outros países e a experiência da FDC no tema é crucial. O conhecimento gerado pelo estudo em Marrocos também vai ser útil para as empresas brasileiras, que poderão desenvolver melhores estratégias de crescimento internacional”, pontua Amaral-Baptista.

Economia marroquina

A economia do Marrocos tem crescido significativamente e se diversificado ao longo dos anos. O fosfato e os fertilizantes, produtos em que o país tem vantagem competitiva global, representam cerca de 15% do PIB. Outros setores de destaque são o turismo, a agricultura, a indústria têxtil, a mineração e a construção naval. O país tem investido ainda em setores como energias renováveis, tecnologia de informação, turismo sustentável e agricultura orgânica. O polo de produção automotiva também terá um crescimento significativo nos próximos anos, com investimentos de grandes empresas internacionais. Transversalmente, o país africano chama a atenção pelas iniciativas focadas em inovação, para se posicionar como um centro regional de desenvolvimento de novas tecnologias.

“Existem traços comuns entre Marrocos e Brasil. Nos dois países, a comunicação é expressiva e as relações pessoais têm grande importância nos negócios. Por outro lado, o contexto interpessoal nas empresas marroquinas é menos individualista, valorizando-se os laços sociais e familiares. As organizações brasileiras delegam mais autoridade e tendem a ser menos hierárquicas, com uma maior orientação para resultados imediatos. Em ambos os casos, a flexibilidade e a adaptabilidade são marcantes”, afirma o professor da ABS.

Os resultados relativos à aplicação da pesquisa no Brasil e no Marrocos serão publicados e divulgados no segundo semestre de 2023. A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) é uma das parceiras na realização da pesquisa no Brasil.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Após investir cerca de R$1,5 bi, Nstech lança plataforma open logistics

Grupo DPSP chega às dez melhores empresas para se trabalhar no varejo

Bússola & Cia: E-commerce é aposta da Yampi para continuar crescendo

Acompanhe tudo sobre:EducaçãoFundação Dom Cabral

Mais de Bússola

Gestão Sustentável: quanto valem 1 milhão e 400 mil vidas?

Empresa usa edutainment, união entre educação e entretenimento, para promover aprendizado de línguas 

Guilherme Rocha: perguntamos ao ChatGPT quais as possíveis consequências da revogação do Perse

5 pontos para alcançar a equidade feminina na indústria criativa

Mais na Exame