Bússola
Acompanhe:
Um conteúdo Bússola

Como esta marca de pipoca começou com R$ 10 mil e hoje cresce 30% ao ano

Da Senhora começou com uma foodbike em Belo Horizonte e hoje distribui pipoca e paçoca para mais de mil pontos de venda em todo o Brasil

Primeiro lote para os supermercados foi produzido em casa (Bussola/Divulgação)

Primeiro lote para os supermercados foi produzido em casa (Bussola/Divulgação)

B
Bússola

Publicado em 14 de outubro de 2022, 18h30.

Última atualização em 14 de outubro de 2022, 18h38.

Sem business plan, e sem entender nada de produção, indústria ou varejo, dois amigos de infância resolveram apostar em um negócio diferente e pouco explorado no Brasil, que acabou virando literalmente um estouro. Com R$ 10 mil na mão e uma ideia na cabeça, Gustavo Franklin e Gustavo Zacharias criaram em 2016 a Senhora Pipoca, uma marca mineira de pipocas artesanais gourmet, com sabores únicos e surpreendentes.

Por dois anos, os dois circularam por Belo Horizonte em uma foodbike vendendo pipocas de churros, chocolate e café, rapadura com coco, banana com canela e por aí vai. Em 2018, partiram para o varejo. “Quando entramos no primeiro supermercado, o primeiro lote de pipocas foi todo produzido em casa. Ficamos uma madrugada datando e adesivando os potes na mão”, diz Franklin.

Hoje, presente em mais de mil pontos de venda por todo o Brasil, a Da Senhora cresceu 20% em 2021. E, para este ano, a expectativa é chegar a 30%, com mais uma linha de produto para diversificar o portfólio.

“O mercado em que atuamos sofreu muito durante a pandemia, mas a retomada está sendo muito positiva, pois os consumidores estão valorizando produtos com ingredientes de verdade.”

Mas o caminho não foi simples. “Nosso melhor marketing sempre foi o produto. Nosso maior desafio é fazer o consumidor experimentar o produto, pois algumas pessoas imaginam que as pipocas podem estar murchas ou com gosto artificial.“

Foi na “raça” que os amigos viram o investimento inicial se transformar em faturamento mensal acima de seis dígitos. Mas em 2019, a greve dos caminhoneiros e um erro de lançamento praticamente quebraram a empresa.

“O pequeno varejo sentiu muito a greve dos caminhoneiros, a inadimplência estourou e fizemos um grande investimento numa nova linha, mas infelizmente erramos na comunicação do produto”, afirma Franklin.

Com os aprendizados dos primeiros anos a empresa se remodelou em 2020 e criou a marca guarda-chuva Da Senhora, expandindo a linha de produtos com a Senhora Paçoca Diet e Paçoca com chocolate zero açúcar.

“Incorporamos outros produtos ao nosso portfólio em 2020. Isso nos permitiu abrir o leque de atuação e reforço de marca, a Senhora Paçoca já representa 30% do faturamento.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também