Um conteúdo Bússola

Bússola Cultural: Semana em SP tem teatro de bonecos e Periferia Instrumental

Confira toda quinta-feira sugestões da Bússola com o melhor da programação cultural de São Paulo
Teatro de Mamulengo do mestre Valdeck de Garanhuns (João Augusto de Figueiredo/Divulgação)
Teatro de Mamulengo do mestre Valdeck de Garanhuns (João Augusto de Figueiredo/Divulgação)
B
BússolaPublicado em 02/06/2022 às 16:18.

Por Bússola 

Folia Brasileira 

O Teatro Sérgio Cardoso recebe uma única apresentação do espetáculo Folia Brasileira, do Teatro de Mamulengo do mestre Valdeck de Garanhuns. Folia Brasileira é um espetáculo literalmente popular. A história se passa na fazenda do coronel Vicente Pompeu, que está realizando uma grande festa com manifestações da cultura popular para comemorar o noivado de Simão e Marieta. Simão começa os preparativos, mas é interrompido por um empresário gringo que quer modificar o esquema da festa com mediocridades da mídia. 

Teatro de Mamulengo é um teatro de bonecos popular de Pernambuco e, como tradição oral, é permanentemente reestruturado por seus mestres, mas sempre mantendo a tradição. A brincadeira permite a participação e o diálogo com o público, e estabelece  uma relação dinâmica que também se realiza no fortalecimento da identidade de um povo, que por meio da brincadeira: explicitam, expressam e denunciam valores, informam suas visões de mundo, seus desejos e experiências individuais e coletivas. 

domingo, 26 de junho, às 11h, para ingressos, acesse o site do Teatro Sérgio Cardoso.  

Contagem regressiva para a reabertura do Museu do Ipiranga

Contagem regressiva para a reabertura do Museu do Ipiranga (Rodrigo Costa/Divulgação)

Restam 100 

Faltam pouco mais de três meses para a reabertura do Museu do Ipiranga. Para celebrar a data, o Museu do Ipiranga, em parceria com a Brasil Jazz Sinfônica, a TV Cultura e a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), lançará uma produção audiovisual com cada grupo artístico, gravadas no interior do prédio fechado para reforma. Enquanto a orquestra faz uma releitura do Hino Nacional da Independência, composto por Dom Pedro I, trazendo os sons do canteiro de obras para o arranjo e contrapondo as imagens dos músicos com os operários, a SPCD traz o primeiro de cinco episódios que compõem uma websérie com cinco coreografias que exploram a arquitetura do edifício histórico.  

Para assistir aos vídeos, acesse a plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa, aqui 

Trecho da leitura dramática da peça “Chovem Amores na Rua do Matador” no Teatro Sérgio Cardoso (Teatro Sérgio Cardoso/Reprodução)

Chovem amores 

O conto "Chovem Amores na Rua do Matador" integra "O Terrorista Elegante e Outras Histórias", livro escrito a quatro mãos pelos escritores de dois países de língua portuguesa, José Eduardo Agualusa (Angola) e Mia Couto (Moçambique), com ilustrações de André Carrilho (Portugal). A leitura dramática interpretada por Expedito Araújo é uma adaptação do conto para os palcos criada pelo próprio Mia Couto e o enredo retrata a história de Baltazar Fortuna, que após longos anos de uma vida penosa e amargurada, volta a Xigovia com planos de matar às três mulheres com quem se relacionou no passado pela crença de que elas são a fonte de todos os azares que lhe perseguem. Mia Couto e José Eduardo Agualusa refletem, neste conto, sobre o conflito entre um Moçambique periurbano, que hesita entre um lastro de tradições e práticas ancestrais cristalizadas nas mentalidades masculinas dominantes; e um novo país, de demografia galopante, prenhe de jovens que, a cada dia, se revêem menos nas estruturas culturais herdadas e nas práticas sociais que elas impõem. 

Teatro Sérgio Cardoso, presencial, apresentação única, 16 de junho às 19h30. Garanta seu ingresso, aqui 

Sonia Braga em "O Beijo da Mulher Aranha" integra a mostra "200 anos de independência em 200 filmes" (Bússola Cultural/Reprodução)

Mostra do cinema nacional 

O Cine Belas Artes e a plataforma #CulturaEmCasa organizaram em parceria a Mostra "200 anos de independência em 200 filmes", que vai contar a história brasileira dos últimos dois séculos por meio da produção cinematográfica brasileira. “200 anos da Independência em 200 filmes” conta com obras de diversos períodos e movimentos tais como Cinédia, Vera Cruz, Chanchadas da Atlântida, Cinema Novo pioneiros, Cinema Marginal do Rio, Cinema Marginal de SP, Boca do Lixo, Pornochanchadas, Cinema da Embrafilme, Novo Cinema Paulista, Cinema da Retomada, além da produção atual. A produção brasileira de curta-metragem também é extensa, com destaque para a produção do final dos anos 1980 e início dos 1990. 

de 3 a 30 de junho, o Belas Artes exibe dois filmes diários, a preços populares (R$ 4 e R$ 2 — meia entrada). Dos 200 filmes, um recorte de 30 estará disponível gratuitamente pela plataforma, de 15 a 29 de junho. Para mais informações e ingressos no Belas Artes, acesse aqui. Todo o conteúdo da plataforma #CulturaEmCasa, está disponível aqui 

Plataforma #CulturaEmCasa traz ViradaSP Online de Salto, que contou com a participação de Elza Soares (Bússola Cultural/Reprodução)

Diva 

Dia 23 de junho, a diva negra Elza Soares completaria 92 anos. Falecida no início deste ano, Elza fez parte do programa ViradaSP Online, com gestão da Amigos da Arte,  da cidade de Salto em 2021. Uma das maiores vozes e artistas do Brasil e acompanhada de Flávio Renegado, na guitarra, e JP Silva, no violão, Elza com sua inconfundível voz rouca e rasgada, canta clássicos como “O meu guri”, “Malandro”, e “Volta por cima”, além do rap/hip hop de Renegado. 

disponível aqui[Quebra da Disposição de Texto] 

Trecho da peça "Menina-Pássara — O voo de uma surda em busca de seu lugar" (Bússola Cultural/Divulgação)

Menina-pássara 

O Panorama #CulturaSP apresenta o espetáculo do Grupo êBA! “Menina-Pássara — O Voo de uma Surda em Busca de seu Lugar”. Uma menina-pássaro vai em busca de seu lugar no mundo e conhece diversas espécies no meio do caminho. A peça é inspirada em “O Grito da Gaivota”, de Emmanuelle Laborit, escritora francesa surda. Participação especial de As Joanas, cantoras do cenário vocal paulistano, unidas pelo desejo de celebrar a luta das mulheres. 

já disponível pela plataforma ou aplicativo #CulturaEmCasa, aqui  

Série original #CulturaEmCasa apresenta “Favela Instrumental” (Bússola Cultural/Divulgação)

Favela Instrumental 

O episódio 2 da série “Periferia Instrumental” apresenta “Favela Instrumental”, trio jazzístico formado por Nicollas Maia (piano), Mateus José (baixo elétrico) e Matheus Marinho (bateria). Os jovens músicos falam de dentro do espaço que abriga o Movimento Cultural Ermelino Matarazzo e contam a importância de trazer a música instrumental para a quebrada, que, nas palavras de Allan Abadia, “é carente de qualquer tipo de festival”. “Vários músicos contribuem para o episódio e atstam o valor afetivo que espaços-família, espaços sem a mão burocrática do governo, agregam à comunidade e ao desenvolvimento emocional, intelecusal e social dos moradores da quebrada. As entrevistas são intercaladas com trechos das performances das convidadas e dos convidados da casa. 

acesse pela plataforma ou aplicativo #CulturaEmCasa, aqui  

Cena de O Lago dos Cisnes (Silvia Machado/Divulgação)

Os cisnes no Sérgio Cardoso 

O Teatro Sérgio Cardoso recebe o espetáculo O Lago dos Cisnes, de Mario Galizzi, criado especialmente para a São Paulo Companhia de Dança, a partir do dia 9 de junho. O balé, criado com músicas especialmente compostas por Tchaikovsky, estreou em 1877 no Teatro Bolshoi, mas somente se tornou um enorme sucesso em 1895, com nova coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov para o Teatro Mariinsky, em São Petersburgo.  

informações e ingressos, acesse aqui 

Trecho do documentário que trata a visão de imigrantes africanos, residentes no Brasil, sobre o racismo (Bússola Cultural/Reprodução)

Negro lá, Negro cá 

O documentário Negro lá, Negro cá, mostra a visão de quatro imigrantes africanos, residentes em Fortaleza sobre o que é o racismo e como lidam com a relação de opressão. Por meio das falas de Andy Monroy Osório, de Cabo Verde; Cornelius Ezeokeke, da Nigéria; Alfa Umaro Bari e Manuel Casqueiro, de Guiné-Bissau, podemos questionar com relação às formas sutis, porém fortes, pelas quais o problema se manifesta dificultando a discussão sobre o tema. 

O documentário faz parte de uma maratona de filmes brasileiros, disponíveis na plataforma CulturaEmCasa. 

acesse aqui 

Trecho da peça da Cia Bambolina dirigida por Danilo Salomão (Bússola Cultural/Divulgação)

O Pretendente 

O Panorama #CulturaSP apresenta a peça “O Pretendente”. A história se passa em meados da década de 40, na casa escura e silenciosa de Iracema, onde um novo e promissor dia se anuncia. Ao despertar, Iracema chama Caetana, sua fiel escudeira. Sua incumbência: acordar as jovens sobrinhas da dona da casa e pedir que se preparem para o jantar, pois receberão uma visita. Uma delas irá se casar, custe o que custar. A proposta do espetáculo da Cia Bambolina partiu da ideia de montar um texto onde todas as personagens femininas da história fossem interpretados por atores homens.  “O Pretendente” tem texto e direção de Danilo Salomão. 

já disponível pela plataforma #CulturaEmCasa, acesse aqui 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube 

Veja também

Bússola Cultural: Semana tem filmes e peças com #CulturaEmCasa 

Banco PAN e Portela fecham parceria para impulsionar comunidade do Carnaval 

Bússola LIVE – Retomada do turismo: expectativas de crescimento