Prefeitos pedem manifestação de Fux sobre liberação de cultos e missas

Frente Nacional de Prefeitos pediu neste domingo ao presidente do STF, Luiz Fux, que se manifeste com urgência sobre a decisão da véspera do ministro da Corte Kassio Nunes Marques

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizette, pediu neste domingo ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que se manifeste com urgência sobre a decisão da véspera do ministro da Corte Kassio Nunes Marques que liberou a realização de cultos e missas no país, apesar de o Brasil atravessar o pior momento da pandemia de Covid-19.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

Donizette citou, em publicação no Twitter, decisão anterior do plenário do Supremo que concede a prefeitos e governadores o poder de decretar suas próprias medidas de restrição para conter a circulação do vírus, e disse que a "flagrante contradição" entre as decisões atrapalha o enfrentamento à pandemia.

"Pedimos ao STF e ao presidente Luiz Fux que se manifeste urgentemente, orientando qual decisão precisa ser seguida. A decisão do plenário, que determinou que os municípios têm prerrogativa de estabelecer critérios de abertura e fechamento das atividades em seus territórios, ou essa liminar", disse Donizetti.

Procurado, o STF não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

O presidente da Frente de Prefeitos acrescentou, no entanto, que os municípios devem cumprir o que foi decidido pelo ministro Nunes Marques sobre o funcionamento de templos religiosos, enquanto não houver uma posição final do Supremo sobre o tema.

Apesar de o país enfrentar o pior momento desde o início da pandeia, o ministro Nunes Marques autorizou no sábado a realização de cultos e missas por todo o país. As cerimônias haviam sido suspensas como parte das medidas impostas por governadores e prefeitos para reduzir a circulação do vírus e conter a doença, mediante o colapso dos sistemas de saúde devido ao aumento explosivo de casos.

Segundo o ministro, no entanto, a decisão de liberar os cultos é compatível ao mesmo tempo com "a necessidade de distanciamento social, decorrente da epidemia da Covid-19, com a liberdade religiosa".

O Brasil é o segundo país com mais casos e mortes por Covid-19, atrás somente dos Estados Unidos. No momento, porém, registra os números mais acentuados do mundo, sendo responsável por uma em cada oito infecções e uma em cada três mortes notificadas globalmente a cada dia, conforme levantamento da Reuters.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.