Brasil

Por coronavírus, Witzel prorroga quarentena no Rio até 30 de abril

Governador mantém proibidos eventos de qualquer atividade com a presença de público e também o funcionamento de cinemas, teatros e pontos turísticos

Coronavírus: país já tem mais de 23 mil casos confirmados da doença (Adriano Machado/Reuters)

Coronavírus: país já tem mais de 23 mil casos confirmados da doença (Adriano Machado/Reuters)

AO

Agência O Globo

Publicado em 13 de abril de 2020 às 19h01.

Última atualização em 13 de abril de 2020 às 19h04.

Após o aumento no número de contágios por coronavírus no estado, o governador Wilson Witzel prorrogou, até 30 de abril, o decreto de quarentena que mantém o Rio em situação de emergência por conta da pandemia provocada pelo Covid-19.

O texto mantém a proibição da realização de eventos e de qualquer atividade com a presença de público e também o funcionamento de cinemas, teatros e pontos turísticos como o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor.

Permanece também o artigo que permite a abertura de bares, restaurantes e lanchonetes limitando o atendimento a 30% de suas respectivas capacidades de lotação. Na cidade do Rio, contudo, segue valendo o decreto do prefeito Marcelo Crivella que proíbe até mesmo a abertura de restaurantes e lanchonetes ao público, autorizando apenas a retirada de pedidos e entregas a domicílio.

Ao prorrogar o decreto, Witzel manteve o funcionamento das feiras livres, desde que as barracas mantenham distanciamento de no mínimo dois metros e que disponibilizem álcool 70% ao público. Witzel informa que cabe às prefeituras deliberar sobre o funcionamento de comércio de pequenos portes, como açougues, padarias e hortiruti.

Já o prefeito Marcelo Crivella, em videoconferência realizada na tarde desta segunda-feira (13) com profissionais de saúde, afirmou que "não é hora de aliviar" e que manterá as restrições já impostas pelo município.

o governador Wilson Witzel pretende sugerir ao Congresso a elaboração de uma lei para “aplicação de multa e de medidas penais severas” a quem descumprir a quarentena.

No estado, a contaminação pelo novo coronavírus se expandiu por cinco novas cidades nos últimos seis dias. O governador ressalta que, por se tratar de Direito Civil, cabe à União deliberar sobre tema, e explica a estratégia:

— Vou consultar a bancada de deputados federais e também levar o assunto ao Fórum de Governadores. Penso que o Congresso pode aprovar uma nova lei prevendo imposição de multas e medidas penais mais severas — informou Witzel ao GLOBO, afirmando que serão mantidas as barreiras nas estradas e lembrando que cidades com contágio têm necessariamente que seguir as imposições do decreto de restrição.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus:

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusRio de JaneiroWilson Witzel

Mais de Brasil

Governo federal libera mais R$ 1,8 bilhão para ações de apoio ao RS

Prefeitura de Porto Alegre fecha comportas do Cais Mauá para barrar água do Guaíba

PT concorda com revisão de benefícios fiscais, mas critica Tarcísio por aumento para 2025

Onda de frio: temperatura terá queda brusca no Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte a partir de sexta

Mais na Exame