Acompanhe:

Onyx sinaliza que pacote trabalhista vai voltar ao Congresso

No dia 1º de setembro, o Senado rejeitou MP que alterava a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e promovia contratação sem carteira assinada

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

(Marcos Corrêa/PR/Flickr)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 20 de setembro de 2021 às, 13h27.

Última atualização em 20 de setembro de 2021 às, 13h28.

O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, sinalizou que o governo tentará emplacar novamente o pacotão trabalhista rejeitado recentemente no Senado. Em evento ao lado do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o chefe da pasta defendeu oportunidades no mercado de trabalho fora da carteira assinada.

  • Entenda como as decisões do Planalto, da Câmara e do Senado afetam seus investimentos. Assine a EXAME.

No dia 1º de setembro, o Senado rejeitou medida provisória que instituía novos programas trabalhistas, alterando a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e promovendo a contratação sem carteira assinada. As mudanças foram criticadas por centrais sindicais e parlamentares.

Nesta segunda-feira, 20, durante convenção da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Onyx defendeu a flexibilização da legislação trabalhista e novos programas de emprego e qualificação profissional.

"Foi isso que passou pelo Congresso e vai voltar porque precisamos juntar duas coisas no Brasil para além da carteira assinada: é oportunidade e qualificação. O Brasil precisa cada vez que esse binômio seja compreendido e entendido no mercado do trabalho", disse o ministro.

Últimas Notícias

Ver mais
Quais as investigações contra Bolsonaro no STF?
Brasil

Quais as investigações contra Bolsonaro no STF?

Há 6 horas

Como registrar uma marca no INPI? Passo a passo para produto ou serviço
Guia do Cidadão

Como registrar uma marca no INPI? Passo a passo para produto ou serviço

Há 7 horas

Dino vai herdar 344 processos no STF; veja os principais
Brasil

Dino vai herdar 344 processos no STF; veja os principais

Há 8 horas

Dino pode ficar 20 anos no STF e se aposentar em 2044
Brasil

Dino pode ficar 20 anos no STF e se aposentar em 2044

Há 8 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais