• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Mulheres do MST ocupam e depredam prédio do ministério da Agricultura

Segundo o MST, 3,5 mil pessoas participam do protesto nesta segunda (9), que impediu o acesso de funcionários da pasta
MST: embalagens de agrotóxicos e tinta vermelha simulando sangue foram jogadas no saguão do órgão (Estadão Conteúdo/ANTÔNIO ARAÚJO)
MST: embalagens de agrotóxicos e tinta vermelha simulando sangue foram jogadas no saguão do órgão (Estadão Conteúdo/ANTÔNIO ARAÚJO)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 09/03/2020 15:39 | Última atualização em 09/03/2020 16:32Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Um grupo de mulheres ligado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou e depredou, na manhã desta segunda-feira, 9, a entrada e o saguão do Ministério da Agricultura, em Brasília. Segundo o MST, 3.500 pessoas de 24 Estados estiveram no protesto, na "Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra", que chegou a fechar parte da pista da Esplanada dos Ministérios e impediu o acesso de funcionários da pasta.

Paredes, o chão e o elevador do térreo do Ministério da Agricultura foram pichados e embalagens de agrotóxicos e tinta vermelha simulando sangue foram jogadas no saguão do órgão. Além da regulamentação da distribuição de títulos de propriedades rurais e outras políticas fundiárias, a pauta do protesto de hoje incluiu "cortes nos investimentos públicos; e a liberação desenfreada de agrotóxicos pelo governo Bolsonaro", informou o MST.

A assessoria do ministério informou que aguarda um relatório do setor responsável para avaliar os eventuais prejuízos. Segundo funcionários do ministério, a portaria ficou fechada por 45 minutos, o que impediu o acesso de servidores pela manhã. Elevadores foram desligados por precaução e, por volta das 10 horas, com a dispersão após o protesto, a situação se normalizou.