Mulheres do MST ocupam e depredam prédio do ministério da Agricultura

Segundo o MST, 3,5 mil pessoas participam do protesto nesta segunda (9), que impediu o acesso de funcionários da pasta

Um grupo de mulheres ligado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou e depredou, na manhã desta segunda-feira, 9, a entrada e o saguão do Ministério da Agricultura, em Brasília. Segundo o MST, 3.500 pessoas de 24 Estados estiveram no protesto, na “Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra”, que chegou a fechar parte da pista da Esplanada dos Ministérios e impediu o acesso de funcionários da pasta.

Paredes, o chão e o elevador do térreo do Ministério da Agricultura foram pichados e embalagens de agrotóxicos e tinta vermelha simulando sangue foram jogadas no saguão do órgão. Além da regulamentação da distribuição de títulos de propriedades rurais e outras políticas fundiárias, a pauta do protesto de hoje incluiu “cortes nos investimentos públicos; e a liberação desenfreada de agrotóxicos pelo governo Bolsonaro”, informou o MST.

A assessoria do ministério informou que aguarda um relatório do setor responsável para avaliar os eventuais prejuízos. Segundo funcionários do ministério, a portaria ficou fechada por 45 minutos, o que impediu o acesso de servidores pela manhã. Elevadores foram desligados por precaução e, por volta das 10 horas, com a dispersão após o protesto, a situação se normalizou.

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.