Brasil

Jucá diz não ver retaliação do Judiciário em afastamento de Renan

Ministro do STF concedeu liminar nesta segunda-feira e afastou o senador Renan atendendo pedido de liminar feito pela Rede

Jucá: senador não quis comentar a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, alegando não ter conhecimento da medida (Pedro França/Agência Senado)

Jucá: senador não quis comentar a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, alegando não ter conhecimento da medida (Pedro França/Agência Senado)

R

Reuters

Publicado em 5 de dezembro de 2016 às 19h56.

Brasília - O líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou nesta segunda-feira que não vê como retaliação do Judiciário a decisão de afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado, tomada por ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Jucá não quis comentar a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, alegando não ter conhecimento da medida.

O ministro do STF concedeu liminar nesta segunda-feira e afastou o senador Renan atendendo pedido de liminar feito pela Rede no processo em que o partido argumenta que réus não podem estar na linha sucessória da Presidência da República.

O STF tornou Renan Calheiros réu na semana passada por peculato.

O presidente do Senado é o terceiro na linha sucessória, depois do vice-presidente da República e do presidente da Câmara dos Deputados.

Acompanhe tudo sobre:Renan CalheirosRomero JucáSupremo Tribunal Federal (STF)

Mais de Brasil

Tarcísio estima economia de R$ 1,7 bi por ano com auditoria de aposentadorias e prova de vida

Às vésperas de posse na Petrobras, Magda Chambriard já dá expediente na companhia

PF pede inquérito contra Chiquinho Brazão por suspeita de desvio de emendas parlamentares

Claudio Castro é absolvido após TRE-RJ formar maioria contra cassação

Mais na Exame