Acompanhe:

Greve de ônibus em São Paulo: Justiça acolhe pedido de Prefeitura e proíbe paralisação

A informação sobre uma greve acontece por conta de uma disputa interna pela presidência do sindicato

Modo escuro

Continua após a publicidade
Greve: Nesta quinta-feira, 30, sindicato dos motoristas e trabalhadores dos ônibus de São Paulo (SindMotoristas) havia desmentido que a categoria faria uma paralisação (Roberto Parizotti/Fotos Públicas)

Greve: Nesta quinta-feira, 30, sindicato dos motoristas e trabalhadores dos ônibus de São Paulo (SindMotoristas) havia desmentido que a categoria faria uma paralisação (Roberto Parizotti/Fotos Públicas)

A Justiça de São Paulo acatou o pedido do prefeito Ricardo Nunes e proibiu a greve de ônibus marcada para acontecer nesta sexta-feira, 1. A informação sobre uma greve acontece por conta de uma disputa interna pela presidência do sindicato. 

Nesta quinta-feira, 30, sindicato dos motoristas e trabalhadores dos ônibus de São Paulo (SindMotoristas) havia desmentido que a categoria faria uma paralisação. A greve teria sido convocada pelo cabeça da Chapa 4, Edivaldo Santiago, que se recusam a acatar a decisão da Justiça pela suspensão da eleição da entidade.

Na última terça-feira, 21, durante a votação da eleição do sindicato, sete terminais de ônibus foram bloqueados devido a protestos de parte da categoria. A SPTrans afirmou que registrou um boletim de ocorrência contra quem impediu a saída dos veículos.

Em comunicado, o sindicato repudiou o uso ilícito da imagem da organização sindical. "Nossas ações são pautadas pelo respeito ao Estatuto Social do sindicato, aos trabalhadores que, neste caso, estão sendo usados como “massa de manobra“ e à Justiça que está sob pressão covarde desses baderneiros", disse

Eleições em disputa

Na última quarta-feira, 22, uma decisão judicial do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) suspendeu a eleição do sindicato. A Justiça atendeu parcialmente ao pedido de mandado de segurança solicitado por representante de uma das chapas.

A "CHAPA 4 – RESGATE RAIZ", encabeçada por Edivaldo Santiago, havia se autodeclarado vencedora do pleito com 14.028 votos. Na decisão, o desembargador Marcelo Freire Gonçalves considerou o argumento de risco de fraude e determinou a adoção de urnas eletrônicas — algo que havia sido acordado entre as quatro chapas concorrentes.

Em contato com a EXAME, o sindicato das empresas de transporte coletivo urbano de passageiros de São Paulo (Urbanuss) também afirmou que desconhece a informação de qualquer paralisação. "As empresas estão tão surpresas quanto você. Ninguém da diretoria está sabendo. Não recebemos nenhuma informação. Existe uma briga interna no sindicato e esperamos que isso não prejudique a população", disse a Urbanus.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Senado aprova projeto que beneficia réus em casos de empate em tribunais superiores
Brasil

Senado aprova projeto que beneficia réus em casos de empate em tribunais superiores

Há 4 horas

Moraes oficia a Lewandowski para extraditar acusado de integrar máfia italiana
Brasil

Moraes oficia a Lewandowski para extraditar acusado de integrar máfia italiana

Há 5 horas

Justiça já condenou 732 por desmatamento de 68 mil 'campos de futebol' na Amazônia
Brasil

Justiça já condenou 732 por desmatamento de 68 mil 'campos de futebol' na Amazônia

Há 5 horas

Nunes Marques pede vista em julgamento que pode 'anular' a eleição de sete deputados
Brasil

Nunes Marques pede vista em julgamento que pode 'anular' a eleição de sete deputados

Há 5 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais