Brasil

Duas barragens no Rio Grande do Sul seguem em nível de emergência

Pela classificação das barragens, o nível de emergência é aquele em que há risco de ruptura iminente, exigindo providências para preservar vidas

 (Carlos FABAL/AFP)

(Carlos FABAL/AFP)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 12 de maio de 2024 às 18h58.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

O governo do Rio Grande do Sul reduziu de três para duas barragens classificadas em "nível de emergência" no Estado, conforme boletim divulgado neste domingo, 12, pela Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Pela classificação das barragens, o nível de emergência é aquele em que há risco de ruptura iminente, exigindo providências para preservar vidas.

"Conforme última atualização e informações técnicas recebidas pelo Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento da Sema, a Barragem Santa Lúcia, em Putinga, manteve o nível de água baixo durante a última precipitação pluviométrica, proporcionando a alteração do Nível de Emergência para Alerta", aponta o comunicado, em que o governo estadual acrescenta que continuam em andamento "as intervenções recomendadas aos responsáveis pela barragem".

"Em relação à UHE Dona Francisca, em Nova Palma, os resultados da inspeção das estruturas civis constataram o não comprometimento da segurança da barragem, no entanto, a grande vazão das últimas horas mantém a UHE em Nível de Alerta", diz também o comunicado.

Com a atualização, continuam em nível considerado de emergência a Barragem Saturnino de Brito, em São Martinho da Serra, monitorada pela Sema, e a PCH Salto Forqueta, em São José do Herval/Putinga, monitorada pela Aneel.

O nível de alerta, o segundo mais alto, corresponde a uma situação em que as "anomalias representam risco à segurança da barragem, exigindo providências para manutenção das condições de segurança". E, por fim, o nível de atenção é aquele em que "anomalias não comprometem a segurança da barragem no curto prazo, mas exigem monitoramento, controle ou reparo no decurso do tempo".

No último levantamento, duas estruturas estão em nível de emergência, outras cinco em nível de alerta, e nove em nível de atenção.

Acompanhe tudo sobre:Rio Grande do SulEnchentes no RS

Mais de Brasil

Governo anuncia investimentos em educação e saúde no Ceará

Ozempic falsificado? OMS alerta sobre venda de versões falsas do medicamento no Brasil

Quase 70% das micro e pequenas empresas do Brasil não tinham nenhum funcionário em 2022

Eleições municipais: Lula diz que vai fazer campanha contra 'adversários ideológicos'

Mais na Exame