Brasil

Dois presos fogem de presídio de segurança máxima em Mossoró

Fugitivos foram identificados como Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça, ambos do Acre, e são ligados a facção Comando Vermelho

Penitenciária Federal de Mossoró, de segurança máxima (Reprodução)

Penitenciária Federal de Mossoró, de segurança máxima (Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 14 de fevereiro de 2024 às 14h09.

Dois presos fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, na manhã desta quarta-feira, 14. Os foragidos foram identificados como Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça, ambos naturais do Acre. Esta é a primeira fuga registrada na história do sistema penitenciário federal, que conta com cinco unidades de segurança máxima.

A Polícia Federal (PF) foi acionada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública para auxiliar na recaptura e investigação das responsabilidades da fuga. O secretário André Garcia, da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), está a caminho da penitenciária.

A dupla teria fugido durante o banho de sol, por uma abertura no teto da cela. Deibson, também conhecido como "Tatu" ou "Deisinho", aparece em 34 processos na Justiça do Acre. Ele responde por crimes como formação de quadrilha, tráfico de drogas e roubo. Rogério responde processos pelos crimes de homicídio qualificado, roubo e violência doméstica. De acordo com o portal g1, os dois são ligados a facção Comando Vermelho.

Os dois haviam sido transferidos para Mossoró em 27 de setembro de 2023. Eles deveriam ficar na unidade prisional até o dia 25 de setembro de 2025.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Defesa Social do RN, o apoio foi solicitado e enviado ao presídio. Ainda segundo a nota, a Polícia Militar enviou amparo somente por meio terrestre.

O Sistema Penitenciário Federal possui cinco unidades localizadas em Catanduvas (PR), Campo Grande (MS), Mossoró (RN), Porto Velho (RO) e Brasília (DF).

A penitenciária fica em Mossoró, localizada a 277 quilômetros da capital Natal, e foi inaugurada em 3 de julho de 2009. Projetada para receber até 208 presos, o local é uma reprodução do modelo de unidades de segurança máxima norte-americanas, conhecidas como “Supermax”, conforme descrição do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Acompanhe tudo sobre:PresídiosRio Grande do NorteCrime

Mais de Brasil

TJ derruba liminar e destrava programa habitacional de Ricardo Nunes em SP

Congresso derruba vetos de Lula e volta a proibir 'saidinha' de presos

Governo consegue acordo com Congresso e veto em calendário de emendas é mantido

Tarcísio diz que Haddad tem ‘ajudado muito’ em discussão sobre renegociação da dívida dos estados

Mais na Exame