Brasil

Caso eleito, Kim Kataguiri pretende criar uma 'Rota' na guarda municipal de SP

Em entrevista exclusiva à EXAME, o deputado afirma que, entre suas principais bandeiras na pré-candidatura, está a segurança pública

Publicado em 4 de abril de 2024 às 18h24.

Última atualização em 5 de abril de 2024 às 12h05.

yt thumbnail

O deputado federal e pré-candidato à prefeitura de São Paulo Kim Kataguiri (União Brasil-SP) afirmou nesta quinta-feira, 4, que pretende armar a guarda municipal da cidade e torná-la uma polícia municipal, com rondas ostensivas para combater o crime, aos moldes das rondas ostensivas Tobias Aguiar (Rota) .

"[O guarda municipal] deve sim andar armado. Inclusive, uma das minhas propostas é recriar a 'Rota Municipal', que foi extinta no governo Marta [Suplicy], hoje vice do Boulos. Ela é a ronda ostensiva municipal, que é a guarda civil metropolitana mais armada e mais equipada para enfrentar o crime organizado", disse em entrevista ao programa Eleições 2024 na EXAME.

Kataguiri disse ainda que trabalhou para que um projeto de lei que dá maior segurança jurídica para as guardas municipais realizarem abordagens e recolherem provas lícitas fosse aprovado na Comissão de Segurança da Câmara. Segundo ele, há entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que as guardas são forças de segurança pública, em referência à Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 995.

"Hoje, a guarda municipal — que é a maior força policial do país, em vários municípios tem mais presença da guarda do que da polícia militar ou polícia civil — aborda um sujeito e encontra 100 gramas de cocaína. Faz apreensão, o sujeito é preso em flagrante. Ele é condenado na primeira instância, na segunda instância. Chega no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Tribunal anula o processo por entender que a competência da guarda é apenas proteger o patrimônio público e ela não pode abordar com base na fundada suspeita, como a polícia militar. Por isso aprovei o projeto para dar mais segurança jurídica", explicou o deputado.

Questionado sobre uma possível disputa entre a futura polícia municipal e a polícia militar, Kim disse que o plano é trabalhar de forma integrada e deu o exemplo da cidade de São José dos Campos.

"Dentro do centro de inteligência e segurança de São José dos Campos, você integra a Guarda Civil com a polícia militar, civil e com a defesa civil. E é exatamente isso que pretendo fazer na cidade de São Paulo. Há uma divisão do território ou tipo de crime em que cada força vai agir. É óbvio que há vaidade e conflitos, mas todos são administráveis. E somente será possível combater o crime organizado se construirmos uma força tarefa que inclua todas as forças", afirmou.

O deputado disse também que pretende implementar câmeras na cidade com reconhecimento facial e inteligência artificial. O pré-candidato disse que buscou exemplos em cidades do interior do estado e em outros países, como Taiwan e Japão.

"São José dos Campos conseguiu reduzir a criminalidade em 70% com o uso de câmeras de monitoramento. Ela reconhece o rosto das pessoas. Se ele está no banco nacional de mandados de prisão, vai ser reconhecido e preso", disse.

Quem é Kim Kataguiri

Kim tem 28 anos, é youtuber e cofundador do Movimento Brasil Livre (MBL). Ele chegou a cursar economia na Universidade Federal do ABC, mas interrompeu o curso. Entrou na política em 2018, quando foi eleito deputado federal pelo DEM com 465 mil votos, quarto candidato com maior número de votos. Ele foi também o deputado mais jovem da história do Brasil, com 23 anos anos. Em 2022, foi reeleito.

Kataguiri ficou conhecido por ser um dos organizadores das manifestações a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, e pelo combate à corrupção. No Congresso, suas principais bandeiras são o fim da corrupção, modernização do Estado e diminuição da burocracia para empresas.

Eleições 2024 na EXAME

A entrevista com o pré-candidato à prefeitura de São Paulo é a quarta da série de entrevista com os principais concorrentes ao comando da capital paulista. Os possíveis candidatos ao comando da capital paulista foram convidados para conversar ao vivo nos nossos estúdios. A data e o horário serão de acordo com a agenda do pré-candidato.

Além de entrevistas, programas quinzenas vão analisar e trazer bastidores das campanhas das capitais brasileiras, com olhar especial para São Paulo, cidade onde fica localizada a redação da EXAME.

yt thumbnail

As eleições 2024 estão marcadas para acontecer no dia 6 de outubro. O segundo turno, marcado para 27 de outubro, acontece somente em cidades com mais de 200 mil eleitores para o cargo de prefeito, caso nenhum candidato atinja 50% mais um dos votos válidos.

Acompanhe tudo sobre:Kim Kataguirisao-pauloSegurança públicaEleições 2024

Mais de Brasil

TSE nega recurso que pedia cassação de Zema, mas aplica multa

Enchentes no RS: deputados aprovam 'calamidade' até 2026 e derrubam regras de gastos

Enchentes no RS: aeroporto Salgado Filho não deve reabrir até setembro

Governo cria 'válvula' para dívida de estados e municípios em calamidade por eventos climáticos

Mais na Exame