Brasil

Brasil está em último em ranking que mede confiança em políticos

Em uma escala que vai de 1 a 7, a nota de confiança dos políticos brasileiros não passou de 1,3

Plenário da Câmara dos Deputados em Brasília (Ueslei Marcelino/Reuters)

Plenário da Câmara dos Deputados em Brasília (Ueslei Marcelino/Reuters)

Talita Abrantes

Talita Abrantes

Publicado em 27 de setembro de 2017 às 13h15.

Última atualização em 27 de setembro de 2017 às 13h56.

São Paulo – Entre 137 povos, o brasileiro é o que menos confia em seus políticos. É o que mostra estudo do Fórum Econômico Mundial, em parceria com Fundação Dom Cabral, divulgado nesta quarta-feira (27).

Em uma escala que vai de 1 a 7, a nota de confiança dos políticos brasileiros não passou de 1,3, segundo  o relatório de competitividade global. A título de comparação, Cingapura, que é o primeiro no ranking, marcou 6,4 pontos.

A avaliação é de 200 executivos que atuam no Brasil e foram questionados no ano passado sobre o padrão ético dos políticos do país.

A corrupção é apontada pelo estudo como um dos piores entraves para a competividade do Brasil. Esse item só perde para a (excessiva) carga tributária do país e para a rigidez de nossas leis trabalhistas.

Falhas éticas

No ranking de países mais corruptos, o Brasil está em quinto — atrás apenas de Venezuela, Paraguai, República Dominicana e Chade.

O relatório revela que os problemas éticos não estão restritos ao setor público — como  a Operação Lava Jato já evidenciou. No ranking que mede a ética corporativa, as empresas brasileiras ficaram em 126º de um total de 137 países.

Apesar desses problemas, o Brasil subiu 11 degraus no pilar "instituições" — que mede a qualidade dos setores público e privado.

O Fórum Econômico Mundial vê esse resultado como um efeito direto das "investigações que levam à uma maior transparência e percepção de procedimentos bem sucedidos para reduzir a corrupção dentro dos limites institucionais da Constituição do Brasil", diz o estudo.

No entanto, mesmo com o avanço, o Brasil continua na posição 109 em termos de qualidade de suas instituições. Em outros termos, há apenas 28 países com instituições piores que as brasileiras.

Mesmo assim, pela primeira vez em cinco anos, o Brasil conseguiu subir 1 posição no ranking global de competividade do Fórum Econômico Mundial e hoje figura na 80ª posição, como fruto da percepção de recuperação econômica.

Confiança nos políticos: Brasil x BRIC

PaísNotaPosição
China4,527
Índia4,233
Russia3,451
Brasil1,3137

Confiança nos políticos: Brasil x Países da América do Sul

PaísNotaPosição
Uruguai4,428
Chile3,066
Argentina1,9118
Colômbia1,7124
Peru1,7126
Equador1,6132
Venezuela1,6133
Paraguai1,5134
Brasil1,3137

Os países com os políticos mais confiáveis

PaísNotaPosição
Cingapura6,41
Emirados Árabes Unidos6,32
Nova Zelânndia6,13
Qatar5,94
Finlândia5,85
Acompanhe tudo sobre:CompetitividadeCongressoCorrupçãoCrise políticaFórum Econômico Mundial

Mais de Brasil

Câmara aprova a Lei Taylor Swift, que criminaliza cambismo digital

CCJ do Senado aprova projeto que prorroga por 10 anos as cotas para negros em concurso

Pacheco adia sessão sobre vetos, governo evita derrotas, e Lira demonstra insatisfação

Rio registra queda de 25% das mortes violentas no primeiro trimestre

Mais na Exame