Após mortes por PMs, protesto em Angra leva corpos não retirados pelo IML

Os manifestantes, da comunidade da Lambicada, levaram dois corpos para a BR-101, na altura do quilômetro 454, fechando as duas pistas da Rodovia Rio-Santos

Rio — Um protesto contra uma operação realizada pela Polícia Militar em Angra dos Reis, na Costa Verde, na região sul do Rio de Janeiro, ocorreu na manhã desta sexta-feira (24).

Os manifestantes, da comunidade da Lambicada, levaram dois corpos para a BR-101, na altura do quilômetro 454, fechando as duas pistas da Rodovia Rio-Santos. Eles também atearam fogo em pneus.

Os corpos seriam de pessoas que morreram na última quinta-feira (16) durante uma ação da PM, e que não teriam sido removidos pelo Instituto Médico Legal.

Em protesto, os moradores levaram os corpos em carrinhos de mão até a pista.

Em nota oficial, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que, na noite de quinta-feira, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) apreenderam armas e drogas na comunidade do Frade, em Angra dos Reis, mas ninguém teria morrido.

"Equipes policiais em patrulhamento na comunidade foram recebidas a tiros e ocorreu confronto", disse a nota. "Não houve relatos de feridos ou socorro feitos pelas equipes policiais."

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.