Brasil

Anvisa decide ampliar validade da vacina da Janssen contra a covid-19

As primeiras doses da vacina contra covid-19 da Janssen estavam previstas para chegar ao Brasil nesta terça-feira, 15, mas vão atrasar

Vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson&Johnson. (AFP/AFP)

Vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson&Johnson. (AFP/AFP)

GG

Gilson Garrett Jr

Publicado em 14 de junho de 2021 às 16h12.

Última atualização em 14 de junho de 2021 às 16h21.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ampliou a validade da vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson&Johnson, de três para quatro meses e meio, sob condições de armazenamento de 2° a 8° C. A decisão ocorreu em uma reunião dos diretores nesta segunda-feira, 14, e vai no mesmo sentido do que já tinha decidido a FDA, a agência reguladora dos Estados Unidos.

As primeiras doses da vacina contra covid-19 da Janssen estavam previstas para chegar ao Brasil nesta terça-feira, 15, mas vão atrasar, como confirmou EXAME junto ao Ministério da Saúde. As doses estavam próximas do prazo de validade, de 27 de junho, e, por isso, seriam entregues somente às capitais. O prazo maior dá mais segurança para a distribuição.

"A pasta aguarda confirmação da data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao país em três remessas", informou o ministério em nota.

De acordo com a Anvisa, a empresa solicitou, no dia 10 de junho, alteração de prazo de validade para a autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, da vacina contra o coronavírus. O uso emergencial está permitido desde o dia 31 de março.

A diretora da Anvisa, Meiruze Freitas, destaca que considerando o cenário pandêmico atual, essa decisão é mais uma tempestiva e célere ação regulatória que permitirá a imediata ampliação do acesso a essa tão importante opção vacinal. 

Esta vacina é a única aprovada pela Anvisa em dose única, e quando armazenada entre temperaturas de -25°C e -15° C, possui prazo de validade de 24 meses, a partir da data de fabricação. 

Acompanhe tudo sobre:AnvisaJohnson & JohnsonMinistério da Saúdevacina contra coronavírus

Mais de Brasil

Censo 2022: Brasil tem 106,8 milhões de endereços, um aumento de 19,5% em relação ao Censo anterior

Um em cada oito endereços do Brasil fica dentro de condomínios, indica Censo

Censo: quase um quarto dos endereços do Brasil não tem número; confira o ranking por estado

Dos 33 deputados favoráveis ao PL que equipara aborto a homicídio, 11 são mulheres

Mais na Exame