• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Fertilizante tem alta de 100% e encarece custos no Brasil

O fertilizante é o item que mais pesa e chega a responder por até um terço do custo operacional da soja e do milho
Fertilizantes: produto subiu mais de 100% de janeiro a agosto (Bloomberg/Andrey Rudakov)
Fertilizantes: produto subiu mais de 100% de janeiro a agosto (Bloomberg/Andrey Rudakov)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 28/09/2021 19:41 | Última atualização em 28/09/2021 19:50Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Com os preços do milho e da soja ainda acima da média histórica, a expectativa é que as margens de lucro dos produtores para a próxima safra de grãos sejam positivas, porém menores do que foram no passado recente. Isso por causa da elevação de custos.

O fertilizante, que é o item que mais pesa e chega a responder por até um terço do custo operacional da soja e do milho, subiu mais de 100% de janeiro a agosto. Pressionado pelo câmbio, aumento do frete internacional e pela escassez de matéria-prima, o preço do cloreto de potássio, por exemplo, aumentou 140%, o do fosfato monoamônico (MAP) ficou 90% mais caro e o da ureia teve reajuste de 60% neste ano.

  • O futuro do agro está na tecnologia. Quer saber como? Assine a EXAME.

"O gasto com os fertilizantes mais usados aumentou o custo operacional em até 35% nas principais regiões produtoras", diz Natália Fernandes, coordenadora do núcleo de inteligência de mercado da Confederação Nacional de Agricultura (CNA). Ela ressalta que esse aumento é bem significativo e que não há indicações de que o preço do fertilizante vá recuar.

"A despeito desse aumento de custos, a nossa expectativa é que as margens ainda serão boas em 2022, porém não tão boas quanto foram no passado", afirma Guilherme Bellotti, gerente da consultoria Agro no Itaú BBA.