EXAME Agro

Apoio:

Logo TIM__313x500

Agrishow: Maior feira agrícola da América Latina começa nesta segunda

Máquinas agrícolas, drones e aviões são alguns dos destaques da feira realizada em Ribeirão Preto

Agrishow: Público tem interesse nos lançamentos de máquinas agrícolas (Agrishow/Divulgação)

Agrishow: Público tem interesse nos lançamentos de máquinas agrícolas (Agrishow/Divulgação)

Mariana Grilli
Mariana Grilli

Repórter de Agro

Publicado em 1 de maio de 2023 às 06h00.

Última atualização em 1 de maio de 2023 às 07h14.

Nesta segunda-feira, 1º, começa a Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação), maior feira agrícola da América Latina. Realizada em Ribeirão Preto, sempre durante o feriado do Dia do Trabalho, ela acontece até sexta-feira, 5, e deve receber um público de cerca de 200 mil pessoas.

A Agrishow é um marco para o setor da agropecuária, principalmente no que diz respeito às máquinas agrícolas. Montadoras de diferentes portes apostam suas fichas ao longo da semana para fechar negócios mirando a próxima safra, ou seja, o calendário 2023/2024. Isso significa que muitos produtores que desejam renovar suas frotas vão à Agrishow preparados para investir alguns milhões de reais em tratores, plantadeiras, colheitadeiras, pulverizadores, entre outros implementos.

O evento tem como organizadores Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), Anda (Associação Nacional para Difusão de Adubos), SRB (Sociedade Rural Brasileira) e Faesp (Federação da Agricultura do Estado de São Paulo).

Agrishow: Maior feira agrícola da América Latina recebe 800 expositores

Agrishow: Maior feira agrícola da América Latina recebe 800 expositores (Agrishow)

Cenário político

A abertura oficial da Agrishow foi cancelada este ano. A formalidade não acontecerá, como de costume, porque o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, disse ter sido "desconvidado" da Agrishow, mediante a presença confirmada do ex-presidente Jair Bolsonaro. A repercussão do ocorrido fez com que os organizadores da feira abrissem mão da tradicional abertura, em que não apenas políticos, mas entidades setoriais e o próprio público visitante têm a tradição de acompanhar.

Também o Banco do Brasil decidiu retirar o patrocínio à Agrishow. O ministro de Portos e Aeroportos, Márcio França, se manifestou na semana passada em rede social. "Se a Agrishow não quer o governo federal no evento, não sei se Banco do Brasil e governo deveriam continuar patrocinando o evento", afirmou. 

Além de Bolsonaro, também devem comparacer ao evento o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, e o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Este deve aproveitar a ocasião para fortalecer sua candidatura à prefeitura de São Paulo.

Novidades em maquinário agrícola

Subir em um novo trator, tirar fotos, saber sobre a performance de cada máquina. Os estandes das fabricantes durante a Agrishow dão o ar de um parque de diversões ao produtor, cuja expectativa é conferir de perto os lançamentos.

A John Deere apresentará um novo modelo de colheitadeira, além de equipamentos autônomos e um sistema de pulverização capaz de identificar plantas daninhas e aplicar defensivos de forma mais precisa. Já a Massey Fergusson, vai expor uma nova plantadeira que não exige desmontagem para ser transportada, e tem tempo de abertura e fechamento inferior a 90 segundos. Velocidade alta que pretende proporcionar mais agilidade nas atividades do campo.

Outra montadora que chama a atenção dos agricultores é a New Holland. Os tratores azuis devem atrair pequenos e médios produtores, já que a empresa pretende mostrar soluções de telemetria a este público.

Aviões e drones

Não é apenas no transporte terrestre que investem os empresários rurais. A cada ano, o interesse por aeronaves executivas cresce dentro do setor e uma prova disso é a procura pelos modelos durante a Agrishow. A TAM Aviação Executiva vai expor seis modelos,, entre aviões e helicópteros, incluindo demonstrações de voos direto do aeroporto de Ribeirão Preto.

Já a Aeromot levará à feira uma maquete de aeronave, cuja comercialização já acontece no Brasil. O modelo passará a ser montado em território nacional pela empresa. A expectativa é que os aviões produzidos aqui sejam entregues a partir de 2025.

Para colocar em prática a agricultura de precisão, produtores também têm investido no uso de drones. Eles servem tanto para aplicação de defensivos foliares quanto para mapeamento de áreas agrícolas, a fim de coletar informações sobre as lavouras. Por terem a capacidade de traçar voos mais baixos, os drones permitem um raio-x sobre a presença de pragas e doenças, o crescimento das plantas e o momento de colheita em cada talhão.

Aos interessados nestas tecnologias, a empresa Eavision deve apresentar um modelo de drone que prevê operação em até 22,5 hectares por hora e pode voar até 70 centímetros do alvo. E a Embratop levará à feira uma linha de drones com câmera multiespectral para digitalizar e analisar o crescimento da cultura.

Os números da Agrishow  

De acordo com os organizadores da Agrishow, 39% dos visitantes da feira atuam na cultura da soja e 37% no milho, sendo que muitos destes agricultores trabalham com ambos os cultivos. Além disso, cana, café, hortifruticultura e citrus também são atividades de atuação dentre o público da feira.

Confira a seguir alguns números sobre a dimensão da feira realizada em Ribeirão Preto:

  • 530 mil m² de área de exposição
  • 800 expositores
  • 190 mil visitantes em 2022
  • 13 setores de atuação relacionados ao agronegócio
  • R$ 11,7 bilhões comercializados em 2022
  • R$ 70 o ingresso na bilheteria
Acompanhe tudo sobre:AgronegócioAgropecuáriaExame-Agro

Mais de EXAME Agro

Argentina: falta de chuvas afeta plantio do trigo e afasta possibilidade de safra recorde

Eventos agro: Confira a agenda para os próximos dias

CCIR 2024: prazo para emissão do documento termina nesta semana

Exportações do agro brasileiro crescem 5,60% no primeiro semestre de 2024 e batem novo recorde

Mais na Exame