• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

Mali prorroga estado de emergência

Decisão foi adotada durante uma reunião extraordinária de ministros, ao mesmo tempo em que soldados malineses com o apoio francês retomavam cidades de Diabali e Douentza

	Soldados franceses chegam à cidade de Diabaly, no Mali: estado de emergência proíbe concentrações públicas e qualquer ruptura da ordem pública
 (AFP/ Issouf Sanogo)
Soldados franceses chegam à cidade de Diabaly, no Mali: estado de emergência proíbe concentrações públicas e qualquer ruptura da ordem pública (AFP/ Issouf Sanogo)
Por Da RedaçãoPublicado em 21/01/2013 19:25 | Última atualização em 21/01/2013 19:25Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Bamaco - O governo do Mali anunciou esta segunda-feira que o estado de emergência, em vigor no país desde 12 de janeiro, foi estendido por três meses, para o "bom desenvolvimento das operações militares em curso para a libertação das regiões ocupadas do país".

A decisão foi adotada durante uma reunião extraordinária de ministros, ao mesmo tempo em que soldados malineses com o apoio francês retomavam esta segunda-feira as cidades de Diabali e Douentza, que estavam sob o controle de rebeldes islamitas armados.

Entre as razões para a prorrogação do estado de emergência, o governo mencionou "as operações militares para libertar as regiões ocupadas do nosso país, que estão transcorrendo muito bem, e a necessidade de instalar um clima social de paz no país".

O estado de emergência, que proíbe concentrações públicas e qualquer ruptura da ordem pública, foi declarado dois dias depois de rebeldes islamitas tomarem a cidade de Konna, no centro do país, e passaram a ameaçar a capital, Bamako;