• AALR3 R$ 20,23 -0.34
  • AAPL34 R$ 68,03 0.99
  • ABCB4 R$ 16,64 -0.06
  • ABEV3 R$ 14,08 -0.35
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,84 2.07
  • AGRO3 R$ 31,16 0.16
  • ALPA4 R$ 21,45 2.98
  • ALSO3 R$ 19,06 0.26
  • ALUP11 R$ 27,15 -0.59
  • AMAR3 R$ 2,55 6.25
  • AMBP3 R$ 31,08 2.57
  • AMER3 R$ 22,05 -3.63
  • AMZO34 R$ 66,00 3.50
  • ANIM3 R$ 5,48 2.24
  • ARZZ3 R$ 79,70 -0.13
  • ASAI3 R$ 15,68 -1.38
  • AZUL4 R$ 20,11 -2.80
  • B3SA3 R$ 11,93 -0.75
  • BBAS3 R$ 37,54 -0.69
  • AALR3 R$ 20,23 -0.34
  • AAPL34 R$ 68,03 0.99
  • ABCB4 R$ 16,64 -0.06
  • ABEV3 R$ 14,08 -0.35
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,84 2.07
  • AGRO3 R$ 31,16 0.16
  • ALPA4 R$ 21,45 2.98
  • ALSO3 R$ 19,06 0.26
  • ALUP11 R$ 27,15 -0.59
  • AMAR3 R$ 2,55 6.25
  • AMBP3 R$ 31,08 2.57
  • AMER3 R$ 22,05 -3.63
  • AMZO34 R$ 66,00 3.50
  • ANIM3 R$ 5,48 2.24
  • ARZZ3 R$ 79,70 -0.13
  • ASAI3 R$ 15,68 -1.38
  • AZUL4 R$ 20,11 -2.80
  • B3SA3 R$ 11,93 -0.75
  • BBAS3 R$ 37,54 -0.69
Abra sua conta no BTG

Mais 26 policiais são julgados por massacre do Carandiru

No maior massacre da história do sistema penitenciário brasileiro participaram 330 agentes

	Plenário do Fórum da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo, onde 26 policiais militares serão julgados pelo caso
 (Marcelo Camargo/ABr)
Plenário do Fórum da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo, onde 26 policiais militares serão julgados pelo caso (Marcelo Camargo/ABr)
Por Da RedaçãoPublicado em 27/07/2013 12:59 | Última atualização em 27/07/2013 12:59Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo - Na nova fase do julgamento, 26 policiais dos 79 acusados pelo massacre do Complexo Penitenciário do Carandiru (1992), quando 111 presos morreram durante uma operação policial, serão julgados a partir da segunda-feira.

A segunda fase começará três meses e meio após a condenação de 156 anos de cada um dos 23 policiais culpados pela morte de 13 presos que estavam em suas celas e nos corredores do pavilhão nove, onde houve o motim que desencadeou a sangrenta repressão policial.

No maior massacre da história do sistema penitenciário brasileiro participaram 330 agentes.

Os 26 policiais acusados nesta nova fase do julgamento, no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, são acusados de cometer 73 das 78 mortes no segundo andar do complexo.

O coronel reformado Luiz Nakaharada foi responsabilizado pelas outras cinco mortes nessa ala do presídio, hoje transformado em biblioteca pública e parque ecológico. Nakaharada será julgado após as quatro primeiras fases.