Tecnologia

Universitários russos criam dispositivo touchscreen mais potente do mundo

Modelo feito por estudantes da Universidade de Kaliningrado é mais de 50 vezes mais potente que o iPad

A Universidade de Kaliningrado, na Rússia: estudantes fizeram o projeto (Reprodução/KSTU)

A Universidade de Kaliningrado, na Rússia: estudantes fizeram o projeto (Reprodução/KSTU)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de dezembro de 2010 às 15h59.

Moscou - Um grupo de universitários russos criou o dispositivo touchscreen mais potente do mundo, capaz de reconhecer até 512 pulsações simultâneas em uma tela que lembra um ipad gigante.

"Muitos podem pensar que é um iPhone maior, mas fomos além e o aparelho não reconhece cinco ou dez pulsações paralelas, mas 512. Não existe outro dispositivo como este no mundo", afirmou Evgueni Nóvikov, um dos desenvolvedores do projeto, citado pela televisão russa "RT" em seu site.

Em comparação com o iPad, o "gadget" russo dispõe de 502 pontos táteis adicionais, embora as dimensões também sejam maiores, pois se assemelham às de uma mesa.

Desenhada por estudantes da Universidade de Kaliningrado (noroeste), a tela é mais sensível que o dispositivo da Apple e, inclusive, detecta objetos colocados sobre ela.

Só de deslizar um dedo sobre a mesa, é possível recriar o movimento das ondas do mar ou gerar um mapa em três dimensões.

Os estudantes desenharam o primeiro exemplar de teste em 2008, inclusive antes de algumas grandes corporações lançarem no mercado produtos com a tecnologia touchscreen.

"Agora conseguimos que nossa equipe não tenha as carências dos nossos concorrentes", disse o diretor do projeto, Anatoli Chúrikov, após assinalar que pretende reduzir o custo da produção do dispositivo para aumentar sua competitividade depois de lançado no mercado.

Alguns investidores já mostraram interesse pelo projeto e várias mesas touchscreen já estão instaladas em escritórios e empresas de Kaliningrado.

Entre seus principais concorrentes estão Microsoft Surface, cuja versão básica custa US$ 12,5 mil nos Estados Unidos e 11 mil euros na Europa, e o Lemur, da companhia francesa JazzMutan, a um preço de 2,4 mil euros.

Em escala menor, a Apple concorre com seu ipad, mas desde 2009 a empresa de Steve Jobs possui uma patente para desenhar dispositivos touchscreen de dimensões maiores.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaEuropaInovaçãoPesquisa e desenvolvimentoRússiaTablets

Mais de Tecnologia

Mais 168 cidades podem ter internet 5G a partir de sexta-feira; veja a lista

Carros autônomos: os robotáxis começam a virar realidade para a Waymo, do Google

Empresa chinesa avança em tecnologia quântica com novo termômetro de óxido de rutênio

Vídeos curtos passam a ser a principal fonte de informação dos jovens, alerta relatório

Mais na Exame