Tecnologia

Resultado da Dell deve mostrar impulso da pandemia nas vendas de PCs

Fabricante americana de computadores, 3ª maior do setor, divulga balanço do segundo trimestre nesta quinta-feira

Dell: as ações da fabricante de computadores acumulam alta de quase 20% em 2020 (Alex Tai/SOPA Images/LightRocket via Getty Images/Getty Images)

Dell: as ações da fabricante de computadores acumulam alta de quase 20% em 2020 (Alex Tai/SOPA Images/LightRocket via Getty Images/Getty Images)

FS

Filipe Serrano

Publicado em 27 de agosto de 2020 às 06h00.

Última atualização em 27 de agosto de 2020 às 06h07.

Terceira maior fabricante de computadores do mundo, a americana Dell divulga nesta quinta-feira (27) os resultados financeiros do segundo trimestre. A publicação dos números deve indicar se a empresa também foi uma das gigantes da tecnologia que se beneficiaram da maior demanda por produtos e serviços tecnológicos durante pandemia.

A quarentena, que forçou as pessoas a trabalharem de casa e os estudantes a terem aulas virtuais, fez crescer as vendas de computadores no mundo todo e também aumentou a demanda por serviços digitais. Para se adequar à nova realidade, muitos consumidores e empresas tiveram de adquirir novas máquinas e investir em servidores para atender à maior demanda.

Somente o mercado de desktops e notebooks teve um crescimento anual de 11% nas vendas no segundo trimestre, de acordo com os dados da consultoria americana IDC.

O movimento beneficiou empresas de tecnologia que fornecem equipamentos, software e serviços de tecnologia da informação, como Microsoft, Amazon, Apple, IBM, Google, Intel, AMD, Salesforce, entre outras.

A chinesa Lenovo, segunda maior fabricante de computadores atrás da americana HP, registrou no segundo trimestre um crescimento anual de 10% nas receitas do segmento de PCs e tablets e de 19% na sua unidade de data center.

Os resultados da Dell devem mostrar se a companhia seguiu o mesmo caminho da indústria. As ações da empresa chegaram a desabar em março com o agravamento da crise da covid-19, mas recuperaram o valor. No ano, os papéis acumulam uma alta de 19%.

Além da alta demanda impulsionada pela pandemia, os investidores ficaram animados com a proposta da Dell de fazer uma separação dos seus negócios na empresa de virtualização e computação em nuvem VMWare, que se tornou uma estrela do portfólio da companhia com o crescimento dos negócios nesse setor. A Dell detém 81% do capital da VMWare a empresa já tem um valor de mercado maior que o da própria Dell.

De acordo com a Dell, a separação dos negócios, prevista para ocorrer depois de setembro de 2021, pode simplificar a estrutura de capital da empresa e aumentar o seu valor. A mudança foi confirmada pela empresa em julho depois de os planos do negócio serem noticiados na imprensa americana. É possível que a Dell também dê mais detalhes sobre essa separação na divulgação de resultados hoje.

Acompanhe tudo sobre:ComputadoresDellDesktopsExame HojeIndústria eletroeletrônicaNotebooks

Mais de Tecnologia

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

O que esperar do balanço da Nvidia, a mais nova queridinha de Wall Street

Quatro operadoras da China se unem para oferecer roaming 5G entre redes

Colher elétrica promete 'temperar' alimento sem utilizar mais sal

Mais na Exame