Tecnologia
Acompanhe:

Redes sociais voltam atenção ao Brasil

Multiply anunciou hoje versão em português do site. Na terça-feira, LinkedIn também lançou tradução de suas páginas para brasileiros

 (EXAME.com)

(EXAME.com)

C
Célio Yano

15 de abril de 2010, 15h44

São Paulo - O Multiply é a mais nova rede social de alcance mundial a disponibilizar uma versão em português de seu site. A ferramenta, voltada à criação de álbuns de compartilhamento de vídeos e fotos, anunciou a mudança, focada no público brasileiro, nesta quinta-feira (15).

Na terça-feira (13), o LinkedIn, rede destinada a contatos profissionais, também lançou a tradução de suas páginas para o idioma usado no Brasil. Tanto no caso do Multiply quanto do LinkedIn, a decisão de aproximar as ferramentas dos internautas brasileiros foi tomada com base no grande público que os sites têm por aqui.

No LinkedIn, antes mesmo da tradução do conteúdo para o português, mais de um milhão de brasileiros já tinham o currículo profissional cadastrado. Já no Multiply, mensalmente, mais de dois milhões de brasileiros visitavam o site, ainda na versão em inglês.

"O Multiply já é o destino preferido dos brasileiros para armazenarem, compartilharem e fazerem muito mais com as suas fotos e vídeos valiosos do que em sites sociais tal como Facebook ou Orkut, e temos orgulho de disponibilizarmos o site em sua língua nativa", disse o fundador e CEO do Multiply, Peter Pezaris, em nota enviada à imprensa.

Estudo da consultoria Nielsen divulgado em março estima que o brasileiro gasta, em média, 4 horas e 27 minutos por dia navegando em redes sociais. No Orkut, embora a parcela de usuários do Brasil tenha caído nos últimos anos, mais da metade (50,6%) de todos os perfis cadastrados são de internautas daqui. No Facebook, rede social mais popular do mundo, o Brasil aparece na 20ª posição em número de usuários, com mais de 4 milhões de pessoas cadastradas.