Tecnologia

Nova biografia mostra Steve Jobs mais humano. Veja destaques

Uma nova biografia de Steve Jobs lançada hoje nos Estados Unidos mostra o ex-CEO da forma mais humana. Veja alguns destaques do livro

Steve Jobs (Bloomberg)

Steve Jobs (Bloomberg)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 20 de agosto de 2015 às 15h34.

São Paulo – Uma nova biografia de Steve Jobs foi lançada hoje nos Estados Unidos. O livro se chama, em inglês, Becoming Steve Jobs (Tornando-se Steve Jobs, em tradução livre).

O livro foi escrito por Brent Schlender e Rick Tetzeli. O foco, como o próprio nome sugere, é em como Jobs mudou ao longo dos anos e se transformou de uma figura irritada e impaciente no líder que conhecemos.

“Basicamente, não havia nada documentando como ele mudou. Eu sentia que o estereótipo inicial de metade gênio, metade babaca havia ficado”, explicou Rick Tetzeli, um dos escritores, em entrevista ao New York Times.

Veja abaixo alguns dos destaques do livro.

O retorno à Apple não foi planejado

Depois de sair da Apple e trabalhar com a Next e a Pixar, Jobs retornou à Apple. Os autores do livro sugerem que o retorno não foi uma estratégia pré-definida. Alguns nomes da tecnologia, como Bill Gates e o ex-CEO da Apple Gil Amelio, acreditam nisso.

Os autores apoiam a ideia de que Jobs tinha dúvidas sobre o retorno, por conta da situação ruim na qual a Apple se encontrava. Jobs tinha medo de que um fracasso fosse sujar a sua imagem.

“Eu decidi que não me importava, que era o que eu queria fazer. E se eu tentasse o meu melhor e fracassasse, bem, eu teria tentado meu melhor”, disse Jobs aos autores em uma entrevista antiga.

Jobs pensou em comprar o Yahoo

O livro fala sobre a relação próxima de Jobs com Bob Iger, CEO da The Walt Disney Company. Iger fazia visitas a Jobs na sede da Apple e foi um dos poucos “forasteiros” a ter acesso ao laboratório secreto de design de Jobs.

No livro, Iger conta sobre as conversas de negócios que tinha com Jobs. Era comum que eles falassem sobre outras empresas e sobre possíveis aquisições para a Apple. Iger revela aos escritores que Jobs cogitou comprar o Yahoo e entrar na briga dos buscadores.

Faz o leitor imaginar qual seria o nível de rivalidade entre a Apple e o Google.

Tim Cook não gostou da biografia anterior

Logo após a morte de Jobs, em 2011, o autor Walter Isaacson publicou uma biografia, chamada Steve Jobs. No novo livro, Tim Cook afirma que ela foi um “tremendo desserviço”.

“A pessoa sobre a qual leio naquele livro é alguém com quem eu nunca gostaria de trabalhar”, diz Cook. Outros funcionários da Apple também afirmaram que Jobs é distorcido no livro de Isaacson, entre eles o designer Jony Ive. 

Acompanhe tudo sobre:AppleEmpresáriosEmpresasEmpresas americanasempresas-de-tecnologiaLivrosPersonalidadesSteve JobsTecnologia da informaçãoTim Cook

Mais de Tecnologia

Internet em qualquer lugar? Starlink, de Elon Musk, lança antena do tamanho de um laptop

Você sabe o que é telemática? Tecnologia reduziu em 40% as taxas de colisões em estradas, diz estudo

Instagram está implementando 'live' apenas para melhores amigos

Vício em TikTok? O que é 'brainrot' e por que o termo está tão em alta

Mais na Exame