Acompanhe:

A Spotify enfrenta um período de reestruturação significativo, anunciando na segunda-feira, 6, a demissão de 17% de sua força de trabalho, cerca de 1.500 funcionários.

Essa medida, visando maior eficiência operacional, supera os cortes anteriores de 2023, que totalizaram cerca de 800 desligamentos. As demissões atingem diversas áreas, incluindo produto, conteúdo e publicidade, e também a operação brasileira da empresa.

O CEO Daniel Ek, em carta aos empregados, mencionou a necessidade de ações substanciais para alcançar os objetivos financeiros da companhia, apesar dos recentes relatórios positivos de desempenho.

As demissões, embora surpreendentes diante do crescimento econômico e lucros da empresa, parecem visar mais a satisfação dos investidores do que responder a fatores macroeconômicos. Reflexo disso é a valorização de quase 11% nas ações da Spotify desde o anúncio.

Entre as principais mudanças, destaca-se a redução do investimento da Spotify em podcasts narrativos aprofundados. Programa inclusive premiados com Pulitzers, como o "Heavyweight" e "Stolen", do estúdio que comprou em 2019 Gimlet, foram cancelados.

Essa decisão marca um afastamento dos podcasts narrativos aprofundados, um nicho no qual a Spotify havia investido anteriormente. A posição agora indica ser uma plataforma como YouTube, onde a curadoria e validação do que é bom é feita pela própria comunidade. Do ponto de vista de consumo, a direção pode ser ter mais do TikTok no DNA do Spotify.

As reações do setor destacam o valor e a qualidade dessas produções, com comentários críticos surgindo em várias plataformas.

No departamento de publicidade, os cortes também são significativos. Entre os executivos desligados está Dave Byrne, diretor de integridade da plataforma global de publicidade da Spotify e ex-líder de segurança de marca no TikTok.

A função de segurança de marca, crucial para garantir a adequação dos anúncios às audiências e conteúdos, agora parece estar diluída entre várias equipes.

Por fim, Ek sinaliza que a Spotify pode continuar com sua estratégia de fusões e aquisições, visando alocar capital em oportunidades de maior retorno.

Esse aspecto sugere que, apesar dos recentes desligamentos e da reestruturação interna, a empresa ainda está focada em expansão e crescimento no mercado, mesmo sendo a líder do setor que ajudou a criar.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
'Oráculo Musical' do Spotify pode 'prever o futuro' com uso de músicas; veja como funciona
Pop

'Oráculo Musical' do Spotify pode 'prever o futuro' com uso de músicas; veja como funciona

Há 2 dias

Spotify pede investigação e Apple deve ser multada em 500 milhões de euros
Tecnologia

Spotify pede investigação e Apple deve ser multada em 500 milhões de euros

Há uma semana

Nike vai demitir 1.600 funcionários em plano para reduzir custos após vendas fracas
seloNegócios

Nike vai demitir 1.600 funcionários em plano para reduzir custos após vendas fracas

Há 2 semanas

Moraes vota para permitir demissão de funcionário de estatal sem motivação
Brasil

Moraes vota para permitir demissão de funcionário de estatal sem motivação

Há 3 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais