Tecnologia
Acompanhe:

Lojas online esperam recorde de vendas em mais um dia de descontos nos EUA

Americanos devem aproveitar hoje a Cyber Monday, dia de promoções voltado ao comércio eletrônico que deve movimentar até 12 bilhões de dólares este ano

Carros de entrega da Amazon: criada em 2005, a Cyber Monday é o dia de maior movimento nas lojas online nos Estados Unidos (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

Carros de entrega da Amazon: criada em 2005, a Cyber Monday é o dia de maior movimento nas lojas online nos Estados Unidos (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

F
Filipe Serrano

30 de novembro de 2020, 11h18

Importada dos Estados Unidos, a Black Friday já se tornou um dia de promoções difundido em todo o varejo no Brasil. Mas entre os consumidores americanos é a Cyber Monday (“ciber segunda-feira” ou “segunda-feira cibernética”) que mais mobiliza as vendas nas lojas online do país.

Em 2020, a expectativa é de movimento recorde nos sites das grandes varejistas nesta segunda-feira, 30. A estimativa é de que o faturamento deva ficar entre 10,8 bilhões de dólares e 12,7 bilhões de dólares, o que representa um aumento de 15% a 35% em relação à Cyber Monday de 2019. Os dados são da Adobe Analytics, braço de análise de dados da empresa de software com o mesmo nome.

Se confirmados, os números devem fazer desta segunda-feira o maior dia de vendas no comércio eletrônico nos Estados Unidos na história, o que tende a beneficiar as grandes varejistas online, como Amazon, Walmart e eBay.

O resultado pode ofuscar até mesmo o movimento durante a Black Friday, quando as lojas online americanas tiveram um faturamento de 9 bilhões de dólares ao todo, crescendo 22% sobre 2019, também segundo a Adobe.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, os consumidores nos Estados Unidos --- e do mundo afora --- passaram a dar preferência por fazer compras online, para evitar locais movimentados.

Isso fez as varejistas americanas apostarem mais nas vendas pela internet durante a Black Friday este ano. Ao contrário do que costuma acontecer, não houve longas filas e aglomerações de consumidores em busca de descontos nas lojas físicas. O movimento de pessoas nas lojas caiu 52% de acordo com os dados da consultoria Sensormatic Solutions.

Por que foi criada a Cyber Monday?

A Cyber Monday foi criada em 2005 pela Federação Nacional de Varejo dos Estados Unidos como uma forma de impulsionar o comércio eletrônico, aproveitando o feriado de Ação de Graças. O dia de promoções é realizado sempre na segunda-feira seguinte ao feriado.

Na época, a Cyber Monday também era uma forma de se contrapor à Black Friday, que historicamente era ligada mais às lojas físicas.

Com o passar do tempo, as grandes redes de varejo americanas passaram a vender também pela internet, e as duas datas acabaram se misturando. Hoje, a maioria das empresas do setor aproveita tanto a Black Friday quanto a Cyber Monday para realizar promoções especiais.

A pandemia acelerou a digitalização do varejo, uma transformação que já estava em curso nos últimos anos. Grandes redes americanas como Walmart e Target --- que são originalmente do varejo físico --- viram as vendas pela internet dobrarem nos últimos meses.

Essa transformação tende a misturar ainda mais a Black Friday e a Cyber Monday nos Estados Unidos daqui para frente. Mesmo depois da pandemia, o consumo online deve continuar crescendo fazendo com que as duas datas de promoções percam as suas características originais.