Acompanhe:

Hackers publicam documentos da Operação Satiagraha

LulzSecBrazil colocou na internet 8 GB de documentos da operação da Polícia Federal

Modo escuro

Continua após a publicidade
A Satiagraha, deflagrada em julho de 2008, tinha como alvo o banqueiro Daniel Dantas, por suspeita de crimes financeiros (Wikimedia Commons)

A Satiagraha, deflagrada em julho de 2008, tinha como alvo o banqueiro Daniel Dantas, por suspeita de crimes financeiros (Wikimedia Commons)

D
Da Redação

Publicado em 10 de agosto de 2011 às, 10h28.

São Paulo - Após uma série de invasões superficiais a sites do governo, o grupo hacker LulzSecBrazil pôs na web um diretório com 8 gigabytes (GB) documentos da Operação Satiagraha. São fotos, áudios, vídeos e relatórios reunidos pela Polícia Federal durante as investigações, em 2008.

“Encontramos os arquivos em servidores abertos”, explicou à reportagem o porta-voz do grupo, conhecido como Bile Day. “Não posso revelar a técnica que usamos, mas em geral nos servidores há vários tipos de falhas, como erros nas páginas do site, portas de serviços abertas e senhas fracas”, afirmou.

Os documentos da operação, porém, já haviam sido publicados em partes em outros sites e supostamente estariam em um pen drive do próprio delegado Protógenes Queiroz, hoje deputado pelo PC do B. “É um vazamento de informação clássico. Não parece sequer invasão de sistema”, avaliou Pedro Markun, ativista da web e criador da comunidade online Transparência Hacker.

A operação brasileira ocorreu pouco depois de o grupo hacker estrangeiro AntiSec divulgar 10 GB de dados confidenciais do FBI. A ação foi uma retaliação à prisão pelos federais americanos de Jake Davis, conhecido como Topiary, jovem de 18 anos que cuidava da comunicação do grupo LulzSec no mundo. Segundo Bile Day, o ataque no Brasil foi coordenado com os grupos estrangeiros.

A Satiagraha, deflagrada em julho de 2008 pela Polícia Federal, tinha como alvo o banqueiro Daniel Dantas, por suspeita de crimes financeiros. Foi uma das mais espetaculares operações da PF, sob ordens do delegado Protógenes Queiroz. A ação provocou embate entre o juiz Fausto De Sanctis, que mandou prender Dantas e o ministro Gilmar Mendes, então presidente do Supremo Tribunal Federal, que mandou soltar. Em junho, o Superior Tribunal de Justiça anulou a investigação porque arapongas da Agência Brasileira de Inteligência haviam participado dos trabalhos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Últimas Notícias

Ver mais
Governo alerta sobre golpe do programa Pé-de-Meia; veja como se proteger
seloMinhas Finanças

Governo alerta sobre golpe do programa Pé-de-Meia; veja como se proteger

Há 9 horas

Como geolocalização com IA evitou 22 mi de fraudes e conquistou captação de R$ 155 mi para empresa
Um conteúdo Bússola

Como geolocalização com IA evitou 22 mi de fraudes e conquistou captação de R$ 155 mi para empresa

Há um dia

Cid presta novo depoimento à PF sobre áudios com críticas a Moraes
Brasil

Cid presta novo depoimento à PF sobre áudios com críticas a Moraes

Há 2 dias

Ataques cibernéticos geram perdas de US$ 12 bi ao setor financeiro em duas décadas, diz FMI
Economia

Ataques cibernéticos geram perdas de US$ 12 bi ao setor financeiro em duas décadas, diz FMI

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais