Google concorda em pagar por conteúdo da Wikipedia

O acordo surge no momento em que outros contratos de pagamento pelo conteúdo de terceiros começam a ser negociados
Wikipedia: um dos sites mais visitados do mundo, e que depende de doações para se manter ativo (Ali Balikci/Anadolu Agency/Getty Images)
Wikipedia: um dos sites mais visitados do mundo, e que depende de doações para se manter ativo (Ali Balikci/Anadolu Agency/Getty Images)
Por AFPPublicado em 22/06/2022 15:54 | Última atualização em 22/06/2022 15:55Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Google concordou em pagar à Wikipedia pelo conteúdo exibido por seu mecanismo de busca, espelhando os acordos que a gigante de tecnologia dos Estados Unidos fechou com veículos de comunicação na Europa. 

A Fundação Wikimedia, organização beneficente que supervisiona a enciclopédia online, disse que o Google foi o primeiro cliente a pagar sua empresa comercial Wikimedia Enterprise, lançada no ano passado.

Enquanto isso, o serviço será oferecido gratuitamente ao Internet Archive, uma organização sem fins lucrativos que administra o Wayback Machine, que salva instantâneos de sites e é usado para consertar links da Wikipedia.

"Estamos muito satisfeitos por trabalhar com nossos parceiros de longa data", disse Lane Becker, da Wikimedia, em comunicado na terça-feira, 21.

O texto não revelou o valor do contrato com o Google.

A Wikipedia, um dos sites mais visitados do mundo, é de uso gratuito, atualizada por voluntários e depende de doações para se manter ativa.

O novo braço comercial não mudará esse acordo para usuários individuais, disse a fundação.

A Google utiliza material do site para seu "painel de conhecimento", uma barra lateral que acompanha os principais resultados de busca e nem sempre mostra a fonte da informação, o que gerou reclamações da Wikimedia.

Google já forneceu dinheiro para a Wikipedia por meio de doações e subsídios.

"Durante muito tempo nós apoiamos a Fundação Wikimedia na busca por nossos objetivos compartilhados de expandir o conhecimento e o acesso das pessoas à informação por todos os lados", disse Tim Palmer, do Google.