Tecnologia

Facebook e YouTube dominam redes sociais no Brasil

Em número de visitas, Twitter, LinkedIn e Google+ parecem insignificantes perto do Facebook, mostra o ranking elaborado pela Serasa Experian


	Lupa sobre o Facebook: número um em visitas no Brasil desde janeiro de 2012
 (Reprodução)

Lupa sobre o Facebook: número um em visitas no Brasil desde janeiro de 2012 (Reprodução)

Maurício Grego

Maurício Grego

Publicado em 26 de novembro de 2013 às 10h56.

São Paulo -- As visitas de brasileiros a redes sociais concentram-se no Facebook, com o YouTube num distante segundo lugar. Twitter, LinkedIn e Google+ parecem insignificantes perto desses dois gigantes. É o que mostra o ranking de redes sociais no Brasil elaborado pela Serasa Experian.

Segundo a empresa, o Facebook recebeu, em outubro, quase três quartos das visitas de brasileiros a redes sociais. Isso representa uma alta de 13% em relação a outubro do ano passado, quando a rede de Mark Zuckerberg tinha por volta de 60% das visitas. O Facebook é o primeiro colocado no ranking desde janeiro de 2012.

O YouTube se manteve em segundo lugar com 16,34% das visitas em outubro, número 2% inferior ao de um ano atrás.

Do terceiro lugar em diante, aparecem sete redes sociais com cerca de 1% das visitas cada uma: Badoo, Google+, Orkut, Yahoo! Respostas, Twitter, Ask.fm e Bate-Papo UOL. O LinkedIn fecha a fila das dez mais com 0,31% das visitas. Confira os números de cada uma:

  Rede Social Participação
1 Facebook 73,50%
2 YouTube 16,34%
3 Badoo 1,20%
4 Google+ 1,15%
5 Orkut 0,97%
6 Yahoo! Respostas 0,94%
7 Twitter 0,90%
8 Ask.fm 0,89%
9 Bate-Papo UOL 0,81%
10 LinkedIn 0,31%
Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaExperianFacebookGoogleInternetLinkedInOrkutRedes sociaisSerasa ExperianSitesTwitterYouTube

Mais de Tecnologia

Alexa, da Amazon, pode subir preço em versão mais inteligente para competir com ChatGPT

CEO da Nvidia ganha US$ 7,6 bilhões em um só dia

Muito tempo no celular? Veja dicas para diminuir seu tempo de tela

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

Mais na Exame