Acompanhe:

Criada no Brasil, tecnologia ajudará a reduzir conta de luz

Com um equipamento no quadro de luz e um aplicativo para smartphone, o consumo de energia ficará mais transparente

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Reprodução/Thinkstock)

(Reprodução/Thinkstock)

L
Lucas Agrela

Publicado em 17 de março de 2018 às, 05h55.

Última atualização em 17 de março de 2018 às, 05h55.

São Paulo – E se você pudesse ter o controle da sua conta de luz em um aplicativo no seu celular e receber dicas de como economizar? Essa é a proposta de um projeto financiado pela CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz), com verba da Aneel, a partir do desenvolvimento de um algoritmo de separação do consumo energético criado na Unicamp, com execução da startup Time Energy, baseada em Campinas, interior de São Paulo.

A desagregação do consumo de energia usada em casas e em empresas já é alvo de pesquisas há anos. "A tecnologia começou a surgir nos anos 1970, mas agora ganha corpo e interesse comercial", disse ao Site EXAME Luiz Carlos Pereira da Silva, coordenador do projeto de desagregação de consumo de energia na Unicamp.

Ainda em fase de testes, a iniciativa deve culminar no lançamento de um acessório eletrônico de usabilidade simples que é conectado ao quadro de energia de uma residência ou estabelecimento comercial, que ficará por conta da Time Energy. A startup também projeta, junto com a Unicamp, o aplicativo para smartphones que poderá interpretar as informações coletadas da rede elétrica. O app mostrará não só o consumo de energia em tempo real, como também enviará dicas para economizar, como deixar para lavar roupa ou tomar um banho quente fora dos horários de pico.

No entanto, o desenvolvimento do projeto ainda enfrenta entraves de desenvolvimento que os pesquisadores irão trabalhar para resolver neste ano. "A taxa de inteligência de software que vai identificar o que está ligado e por quanto tempo é o principal desafio", disse Silva. Ele explica que, enquanto é simples detectar a "assinatura elétrica" de um chuveiro, é complicado identificar o comportamento de cargas elétricas usadas por aparelhos, como uma lavadora, que tem vários ciclos. "A assinatura dela é bem ruidosa, mal comportada, difícil de identificar."

Renato Povia, gerente de inovação da CPFL Energia, conta que o algoritmo já está em testes nas casas de alguns pesquisadores e que ele funciona bem, apesar da dificuldade de detectar os eletrônicos diferentes de cada casa. A empresa escolheu desenvolver o projeto junto à Time Energy devido à eficiência de desenvolvimento. "As startups são hoje um grande veículo para criar projetos com agilidade", declarou Povia, em entrevista ao Site EXAME.

Quando ficar pronto, o hardware simples, que pode ser usado em casas, pode custar por volta de 400 reais para consumidores finais, de acordo com Leandro Pereira, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Time Energy. Para empresas, o valor varia por conta da maior complexidade da rede elétrica.

Até 2019, o projeto de desagregação do consumo terá investimento de 3,6 milhões de reais da CPFL por meio do programa de pesquisa e desenvolvimento da Aneel.

Últimas Notícias

Ver mais
MP que baixa preço de conta de luz é agenda de curto prazo, diz Aneel
Brasil

MP que baixa preço de conta de luz é agenda de curto prazo, diz Aneel

Há 2 dias

O que esporte e transição energética têm em comum? Para Bernardinho, tudo
Um conteúdo Bússola

O que esporte e transição energética têm em comum? Para Bernardinho, tudo

Há 2 dias

Lula se reúne com especialistas do setor elétrico um dia depois de assinar MP sobre o tema
Brasil

Lula se reúne com especialistas do setor elétrico um dia depois de assinar MP sobre o tema

Há 3 dias

Lula assina MP que alivia contas de luz agora, mas pressiona tarifas no futuro
Economia

Lula assina MP que alivia contas de luz agora, mas pressiona tarifas no futuro

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais