CES começa nesta quarta-feira em meio a esvaziamento

Com tempo de duração e público reduzido, a maior feira de tecnologia do mundo inicia sem a presença de grandes nomes do mercado
A CES ocorre entre os dias 5 e 8 de janeiro (Getty Images/Pavlo Gonchar/SOPA Images)
A CES ocorre entre os dias 5 e 8 de janeiro (Getty Images/Pavlo Gonchar/SOPA Images)
Por Da redaçãoPublicado em 05/01/2022 06:00 | Última atualização em 05/01/2022 05:59Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Em sua primeira edição com público presencial desde o início da pandemia, a Consumer Eletronics Show (CES), um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, vai começar nesta quarta-feira, 5, em Las Vegas.

Mas o extenso pavilhão onde as empresas exibem suas inovações está relativamente mais vazio que em 2020. Obviamente, devido as novas ondas de covid-19 causadas pela variante omicron.

Além de ter o público limitado em quatro mil pessoas, a lista de empresas que não vão participar do evento presencialmente já inclui marcas relevantes como Amazon, Twitter, Meta, Microsoft, Intel, AMD, entre muitas outras.

Para antever surtos ou outros problemas com a covid-19, a organização da CES 2022 já havia definido uma série de protocolos de saúde — incluindo a obrigatoriedade da apresentação de um comprovante vacinal, testagens recorrentes, e a redução do tempo de duração da feira em um dia.

Já para as exposições que vão ocorrer localmente há a orientação de abolir os recursos que geram filas, chamando a atenção de ainda mais visitantes para uma mesma apresentação.

No início da semana, fabricantes como a AMD e Intel já anteciparam suas novidades em eventos virtuais próprios, e outras empresas, como Nvidia e LG, já afirmaram que farão o mesmo. Os detalhes ficarão a cargo de cada companhia, mas poderão ser utilizados recursos de realidade virtual e outros artifícios para colocar os convidados mais próximos dos expositores.

Em entrevista coletiva, Gary Shapiro, presidente executivo da Consumer Technology Association (CSA), organizadora do evento, disse que a conferência só não foi cancelada em respeito às startups e empresas que já haviam confirmado presença.