Tecnologia

Celulares Android mais antigos vão perder acesso a milhares de sites

Os demais dispositivos Android, com versões mais atualizadas, não serão afetados pelo problema. Mas vale ficar de olho

Android: mudança no HTTPS pode preocupar usuários (Omar Marques/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Android: mudança no HTTPS pode preocupar usuários (Omar Marques/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Tamires Vitorio

Tamires Vitorio

Publicado em 11 de novembro de 2020 às 08h22.

Última atualização em 11 de novembro de 2020 às 09h47.

Milhares de sites vão parar de funcionar em celulares mais antigos com o sistema operacional Android em breve. Isso porque, por conta da finalização de um acordo entre as empresas Let's Encrypt, autoridade em certificação, e a IdenTrust. O protocolo HTTPS vai ser afetado diretamente nos Androids mais velhos.

De acordo com um relatório publicado no site Android Police, diversos sites seguros não vão mais funcionar em versões abaixo da 7.1.1 Nougat.

É hora de comprar ações da empresas de tecnologia? Teste grátis, por 10 dias, a melhor análise do mercado de ações.

O que levou isso a acontecer é que a Let's Encrypt anunciou recentemente que a parceria com a IdenTrust irá acabar no dia primeiro de setembro de 2021 --- e não existem planos para a renovação do contrato.

A Let's Encrypt, por sua vez, está plenejando mudar totalmente o seu certificado de segurança e parar de sinalizar a IdenTrust a partir do dia 11 de janeiro de 2011.

Muitos sites usam o protocolo HTTPS, que insere uma camada protetora para que dados sejam transmitidos entre um computador e o servidor. Sites como esse são criptografados, o que aumenta a segurança do usuário durante a navegação.

Com isso, o que pode acontecer é que sites mais seguros deixarão de funcionar em celulares mais antigos. O que, é claro, pode se tornar um grande problema. De acordo com a Let's Encrypt, 33,8% dos dispositivos Android ainda usam a versão mais antiga do sistema operacional, que receberão certificados de erro quando tentarem utilizar sites seguros a partir do começo de 2021.

Para driblar a situação, o usuário deve atualizar seu dispositivo com frequência. Mas, se por algum motivo essa não for a decisão do consumidor, a Let's Encrypt recomenda que ele baixa o navegador Firefox e o utilize para "navegar na internet". A opção também é temporária, uma vez que, em um futuro próximo, os aplicativos também podem apresentar erros de certificados --- o que tornará a atualização do sistema quase que obrigatória.

Os demais dispositivos Android, com versões mais atualizadas, não serão afetados pelo problema.

Acompanhe tudo sobre:AndroidGoogleSmartphones

Mais de Tecnologia

União entre Republicanos e Democratas contra o TikTok mostra o quão difícil é banir um aplicativo

Google proíbe impulsionamento de conteúdo político para as eleições de 2024 no Brasil

Android é melhor que Apple? Para o consumidor chinês, sim

Alibaba, Baidu e Tencent competem por capacidade computacional do Llama 3 da Meta

Mais na Exame