Acompanhe:

Campanha online busca arrecadar 1,6 bilhão de euros para salvar economia grega

Até o momento, 9,6 mil pessoas doaram para o resgate grego, somando quase 150 mil euros. A campanha ainda segue por 7 dias

Modo escuro

Continua após a publicidade
Grécia (Getty Images)

Grécia (Getty Images)

M
Marcus Vinícius Brasil

Publicado em 30 de junho de 2015 às, 08h50.

A Grécia passa pelo momento mais agudo de sua longa crise econômica, que esta semana fechou bancos do país, colocando-a em uma situação delicada junto a instituições financeiras e a outros países da Zona do Euro. Enquanto primeiros-ministros, presidentes de fundos monetários e outros figurões discutem uma saída para a crise – que invariavelmente atingirá a população grega –, uma campanha online de financiamento coletivo busca fazer o que parece impossível: salvar a economia da Grécia do colapso total.

Criada por Thom Feeney, um rapaz de 29 anos que trabalha em uma sapataria em Londres, a campanha foi lançada na plataforma Indiegogo, e tem como meta o valor de 1,6 bilhão de euros, que ajudaria o país a se colocar no caminho da reestruturação. A lógica do Sr. Feeney é simples: "Pode parecer muito, mas custaria apenas 3 euros de cada morador da Europa. É o mesmo que meio pint de cerveja em Londres", escreve o idealizador na página do projeto.

Até o momento, 9,6 mil pessoas doaram para o resgate grego, somando quase 150 mil euros. A campanha ainda segue por 7 dias. 

"Eu entendo por que as pessoas podem pensar que se trata de uma piada, mas o financiamento coletivo pode realmente ajudar, porque trata-se de se engajar e fazer acontecer", escreve Feeney. "Eu estava cansado da crise grega caminhar em círculos. Enquanto os políticos enrolam, pessoas reais são afetadas."

Mesmo que as chances de atingir a meta de 1,6 bilhão de euros sejam mínimas, a campanha demonstra o poder que a internet tem de mobilizar pessoas em torno de uma causa comum. Outro exemplo disso foi a campanha de arrecadação de fundos promovida pelo Facebook para ajudar as vítimas do terremoto no Nepal, em maio. Os usuários da rede social doaram 10 milhões de dólares, utilizados por instituições de suporte aos atingidos pelo tremor.

Fonte: Indiegogo